Advertisement

Plano de Haddad é contra desmonte neoliberal

Petista avisou que conversará com Ciro, Marina, Alckmin e Meirelles O candidato à Presidência da República pelo PT,...

Política / 09 Outubro 2018

Petista avisou que conversará com Ciro, Marina, Alckmin e Meirelles

O candidato à Presidência da República pelo PT, Fernando Haddad, apresentará seu plano econômico sustentado na preservação do Estado do bem-estar social. Em viagem a Curitiba, Haddad destacou que combaterá o neoliberalismo, segundo ele uma das bandeiras defendidas pelo adversário Jair Bolsonaro (PSL).
“O retorno do neoliberalismo vai agravar a crise e vamos seguir um modelo que não deu certo na Argentina”, disse Haddad em entrevista coletiva, após visitar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, preso há seis meses na Superintendência da Polícia Federal (PF).
Haddad ressaltou que o respeito aos valores democráticos será a base de sua campanha. Segundo ele, vai buscar apoio em “forças democráticas” representadas por candidaturas derrotadas no primei-ro turno. Ele citou nomes de “alta respeitabilidade”, embora com divergências, os candidatos à Presidência Ciro Gomes (PDT), Marina Silva (Rede), Geraldo Alckmin (PSDB) e Henrique Meirelles (MDB).
Haddad afirmou que o modelo econômico é que vai nortear esse 20 dias até o segundo turno. De acordo com ele, o modelo apresentado pelo PT é baseado na “restauração social” e nas “forças democráticas de direito”. Para o petista, outra divergência é em relação a eventuais mudanças na legislação trabalhista.
Questionado sobre a possibilidade de ser instaurada uma Assembleia Constituinte, Haddad afirmou que discutir o assunto ao lado de Guilherme Boulos (PSOL) e Ciro Gomes. “Falei durante o primeiro turno que a nossa questão de reformar a Constituição [Federal] é muito importante, justamente, em função da reforma bancária, da reforma tributária e da reforma política. Não há como fazer isso sem reforma constitucional.”