Petrobras será credora no final do processo de renegociação

Acredite se puder / 17 Agosto 2017

A Petrobras será credora ao final do processo de renegociação do contrato da cessão onerosa com o Governo Federal, disse o ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho. O contrato da cessão de direitos à estatal, conhecido no setor como cessão onerosa, garantiu à Petrobras até 5 bilhões de barris de óleo equivalente sem licitação, na época da capitalização da companhia, em 2010. Naquela ocasião, a petroleira pagou à União o equivalente a US$ 42,5 bilhões. Mas uma renegociação de algumas variáveis, como o preço e o câmbio, estava prevista desde o início, após a declaração da comercialidade das áreas cedidas. Ele afirmou também que o governo pode leiloar, no ano que vem, o excedente da área da cessão onerosa, ou o direito de exploração dos volumes que excedem os 5 bilhões de barris cedidos à Petrobras.

 

Infraero pode obter R$ 8 bilhões

A venda das participações minoritárias da Infraero pode render até R$ 8 bilhões, segundo o secretário de Aviação Civil do Ministério dos Transportes, Dario Lopes. A autoridade aponta os aeroportos concedidos de Brasília (DF), Guarulhos (SP), Confins (MG) e Galeão (RJ). Porém acredita que as participações de 49% em Guarulhos e Brasília podem render cerca de R$ 6 bilhões. A fatia da estatal no aeroporto de Viracopos (SP) não será colocada à venda, porque a concessão do aeroporto será relicitada. Os comentários foram feitos após reunião para desenhar as propostas que serão apresentadas na reunião do conselho do Programa de Parceria de Investimentos (PPI), na próxima terça-feira, que definirá quais aeroportos serão concedidos na próxima leva de leilões e a venda das fatias minoritárias da Infraero.

O ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira, presente à reunião do conselho, disse que já foi batido o martelo para a concessão do aeroporto de Congonhas, que é um dos principais ativos da Infraero, e o Ministério dos Transportes vinha se opondo à ideia de licitá-lo alegando que, sem o movimentado aeroporto paulistano, a empresa teria dificuldades de caixa. Na opinião do ministro, no entanto, a venda das participações minoritárias dará fôlego necessário para a Infraero fazer face à concessão do aeroporto à iniciativa privada. “A Infraero provavelmente vai ter a venda das participações. Ela tem como gerar caixa, não precisa de capitalização do Tesouro”, disse Oliveira. Segundo Dario Lopes, a pedido do Ministério do Planejamento, o PPI vai analisar a concessão sozinha do aeroporto de Congonhas, enquanto aeroportos do Nordeste e de Mato Grosso serão oferecidos em bloco, por sugestão do Ministério dos Transportes.

 

Lucro do Wal-Mart cai 23%

O Wal-Mart Stores divulgou menores margens trimestrais depois de ter reduzido preços e investido fortemente na expansão de suas operações de comércio eletrônico. Os investidores ignoraram um aumento nas vendas comparáveis, que registraram alta por três anos consecutivos, e as ações da empresa recuaram quase 3%. “Os investimentos estratégicos em preço em mercados-chavee a crescente combinação de nossos negócios de comércio eletrônico reduziram a margem bruta”, afirmou diretor financeiro, Brett Biggs, em comunicado. O Wal-Mart disse que as vendas nas lojas dos EUA abertas há pelo menos um ano aumentaram 1,8%, excluindo as flutuações dos preços dos combustíveis, durante o segundo trimestre fiscal encerrado em 31 de julho.O resultado é mais forte do que as expectativas do mercado de um aumento de 1,7 por cento, de acordo com a empresa de pesquisa Consensus Metrix.

O lucro líquido da Wal-Mart caiu 23%o para US$ 2,9 bilhões de dólares, ou US$ 0,96 por ação, ante US$ 3,7 bilhões ou US$ 1,21 por ação um ano antes, devido a uma perda com a recompra da dívida após uma oferta de títulos. Excluindo itens especiais, o lucro por ação de US$ 1,08 superou a estimativa média dos analistas de US$ 1,07, de acordo com a Thomson Reuters.