Patrimônios da humanidade, Paraty e Ilha Grande esperam investimentos

Esse é o primeiro sítio de patrimônio misto do Brasil, ou seja, que inclui bens culturais e naturais.

Rio de Janeiro / 22:11 - 5 de jul de 2019

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

A Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (Unesco) decidiu nesta sexta-feira inscrever Paraty e Ilha Grande, no sul do Estado do Rio de Janeiro, como patrimônio mundial da humanidade.

O sítio inclui o centro histórico de Paraty e as reservas de Mata Atlântica da região da Baía da Ilha Grande, como a Serra da Bocaina e a própria Ilha Grande.

Esse é o primeiro sítio de patrimônio misto do Brasil, ou seja, que inclui bens culturais e naturais. Dos mais de mil patrimônios mundiais, apenas 39 locais, em 31 países, são sítios mistos. Paraty e Ilha Grande se juntam a outros 21 patrimônios mundiais da humanidade brasileiros, dos quais sete são naturais e 14 são culturais.

O título concedido pela Unesco foi recebido com perspectivas de novos investimentos e incremento de projetos culturais pelos dois municípios. O prefeito em exercício de Paraty, Valceni Teixeira, disse que receber o título de Patrimônio da Humanidade da Unesco é a demonstração de que o município construiu algo importante em relação à conservação da história e da biodiversidade locais.

Para a secretária de Cultura, Cristina Masela, a inscrição como Patrimônio Mundial, além de preservar a cultura e o meio ambiente da região é uma maneira de conseguir novas oportunidades de projetos e investimentos, inclusive na solução de algumas dificuldades de infraestrutura do município, como o tratamento de água e esgoto, que é um problema na cidade, assim como em outros lugares do país, e acesso às rodovias.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor