País deve continuar com déficit até 2025

Relatório da Instituição Fiscal Independente (IFI) também apontou alto risco de descumprimento do teto de gastos.

Conjuntura / 22:32 - 15 de mai de 2019

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

Mesmo com a aprovação da reforma da Previdência, o país continuará a registrar déficits primários – resultado das contas públicas desconsiderando os juros da dívida – até 2025, só voltando a ter resultados positivos em 2026. A conclusão consta de relatório da Instituição Fiscal Independente (IFI), órgão auxiliar do Senado, divulgado nesta quarta-feira.

O relatório também apontou alto risco de descumprimento do teto de gastos – que limita o crescimento das despesas federais à inflação – a partir de 2022. Para 2019 e 2020, a IFI considera baixas as chances de os gastos estourarem o teto, mas vê risco moderado em 2021.

O principal fator para a revisão das projeções foi a piora nas previsões de crescimento econômico e na arrecadação do governo no curto prazo. A IFI reduziu de 2,3% para 1,8% a estimativa de expansão do PIB para 2019. Para 2020, a instituição revisou a estimativa de crescimento de 2,36% para 2,24%.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor