Pagamento aos advogados

A Riotrilhos e a Central - Companhia Estadual de Engenharia de Transporte e Logística foram autorizadas pelo procurador geral do estado, Leonardo Espíndola, a pagarem um total de R$ 3,249 milhões aos escritórios de advocacia Cândido de Oliveira (advogados associados) e Vieira de Castro e Mansur Advogados Associados, por serviços prestados às duas empresas. O procurador também autorizou a liberação de R$ 1,238 milhão do Fundo Especial da Procuradoria-Geral do Estado para liquidação de dívida da Subsecretaria de Comunicação Social do Governo e do Centro de Tecnologia da Informação e Comunicação. A coluna lê sobre essa tal de Central pela primeira vez, talvez seja ela um substrato das que foram “terceirizadas” na área dos transportes. E aí, presidente da Comissão de Transportes da Alerj, deputado Marcelo Simão, por onde andas que não sabes disso?

Papel e uniformes

A Secretaria estadual de Defesa Civil liberou o pagamento de R$ 1,975 milhão, dos quais R$ 182,5 mil foram para a compra de 10 mil resmas de papel A4 para abastecer as máquinas xerox do Corpo de Bombeiros; R$ 243,7 mil para a compra de 9.140 sacos para cadáveres, além de R$ 999,125 mil para a gestoria e processamento de roupas hospitalares.

[caption id="attachment_572198" align="alignnone" width="300"] Vereador Cesar Maia[/caption]

Alerta

O ex-prefeito do Rio, vereador Cesar Maia, faz um alerta ao prefeito Marcelo Crivella para o risco de se fazer isenções tributárias indiscriminadas, lembrando que o estado encontra-se em situação financeira difícil pela chuva de isenções, anistias e remissões de impostos. O alerta de Cesar é um sinal de que Crivella estaria conversando com Jesus, mas também ouvindo o diabo roncar nas profundezas do desconhecido.

Consórcio Carioca

A Secretaria estadual de Obras está liberando R$ 3,592 milhões ao Consórcio Carioca, do qual participa a construtora Queiroz Galvão, responsável por manutenção de trechos das estradas fluminenses.

[caption id="attachment_572200" align="alignright" width="197"] Prefeito José Luiz Nanci[/caption]

Dinheiro entra e sai

A Prefeitura de São Gonçalo, na Região Metropolitana, recebeu repasses de R$ 122,624 milhões do Governo Federal. O dinheiro passou rápido pelas contas do Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal, saindo para incorporar-se ao orçamento e, em seguida, ser liberado para liquidação de despesas. Talvez seja esse o motivo que levou o prefeito José Luiz Nanci a editar 12 aberturas de crédito suplementar, beneficiando quase todas as secretarias, inclusive os gestores de seu gabinete, num total de R$ 101,058 milhões. O prefeito Nanci não gosta de ver dinheiro parado. O maior volume, transferido apenas em um ato, foi para a Fundação e Fundo Municipais de Saúde, num total de R$ 32,319 milhões. O prefeito também se utilizou de saldo de programas e secretarias extintas para encher outros cofres, num total de R$ 46,810 milhões.

XClipping

Coisa fantástica, a Mesa Diretora da Câmara Municipal do Rio, sob o comando de Jorge Felippe, contratou a empresa XClipping, com sede na Rua Sete de Setembro, 92/703, no Centro do Rio. Ela apresenta um site singular, isto porque não se consegue visualizar os nomes dos seus diretores e clientes, que acreditamos serem todos respeitáveis. Apesar desses senões, o Jorge Felippe confiou, lhe deu credibilidade e transmitiu isso aos seus colegas vereadores integrantes da Mesa Diretora. Agora, é preciso que os senhores integrantes da Mesa Diretora, principalmente o primeiro-secretário Carlo Caiado, que é quem paga a conta em nome dos contribuintes, acompanhe e fiscalize o trabalho prestado pela XClipping.

Comércio ambulante

O vereador Reimont entrou com requerimento na Mesa Diretora solicitando a criação de uma comissão especial para investigar o comércio ambulante no Rio, que movimenta alguns milhões de reais por ano, sem controle fazendário, nem acompanhamento dos senhores vereadores. O comércio ambulante, onde floresce a pirataria, teria a participação de comerciantes devidamente legalizados, mas não se sabe a extensão disso.

Revisão de planilha

Por decisão do prefeito Rodrigo Neves, a Empresa Municipal de Moradia, Urbanização e Saneamento (Emusa) está promovendo a revisão da planilha de custos para diversas obras na localidade de Capim Melado, na Região Oceânica. As despesas devem ficar em R$ 514,982 mil.

Investigando o Carnaval

Em outros carnavais, a Câmara Municipal do Rio tentou, sem grande sucesso, descobrir o que existiria por trás do relacionamento da prefeitura com o Carnaval carioca. Agora, o vereador Tarcísio Motta quer a instalação de uma comissão especial para esse fim, pois, além das responsabilidades públicas da prefeitura e da Liesa, também alguns recursos, principalmente dispêndio financeiro, fortalecem esse relacionamento.

ronaldoferraz35@yahoo.com.br