Países Baixos são apenas um país

Internacional / 11 Agosto 2017

Amsterdã – A Holanda é um país de 12 províncias no continente europeu e mais os “territórios” de Aruba, Curaçao, São Marten e ainda os “municípios” de Bonaire, Saba e São Eustátios. Todos, “províncias”, “territórios” e “municípios” localizados no Caribe, isto é, são colônias em pleno século XXI.

Recorda-se que a Guiana Holandesa, situada na fronteira noroeste do Brasil, foi, também, colônia da Holanda – a Guiana Holandesa – mas uma revolução nacionalista de sua população a libertou da canga dos conquistadores holandeses, e hoje é República do Suriname.

Reino da Holanda é composto, em pleno

século XXI, por colônias no Caribe

Apesar de sua reduzida dimensão geográfica, a Holanda registra invejáveis índices de desempenho em produtos agrícolas, produtos alimentícios, pecuária, infraestrutura, logística, energia e sustentabilidade.

Seus índices econômicos são, igualmente, bem favoráveis. Produto Interno Bruto (PIB) de US$ 750,3 bilhões e PIB per capita de US$ 44.332. Crescimento de 0,4% no primeiro trimestre de 2017. Inflação, 1% em junho. Desemprego, 4,9% em junho. Importações de bens e serviços, US$ 508 bilhões; exportações, US$ 571 bilhões.

A Holanda é, ainda, o oitavo país do mundo na classificação das economias mais competitivas, a sexta maior economia da Europa e, também, o quarto país da Europa em rendimento médio e o terceiro em prosperidade, sustentabilidade e empreendedorismo.

É o quinto maior investidor mundial e o oitavo destino preferencial para investimentos estrangeiros. A Holanda é o sexto país mais próspero do mundo. O aeroporto de Schiphol, situado na capital Amsterdã, é o terceiro maior da Europa em tráfego e transporte aéreo, enquanto, o porto de Roterdã é o maior da Europa. O país é líder em banda larga.

 

Alex Corsini

Sucursal da União Europeia.

Porto de Roterdã, o maior da Europa

 

As Antilhas Holandesas no Caribe

Aruba – O Reino dos Países Baixos – denominação oficial da Holanda – é formado por quatro “parceiros autônomos”, que são o Reino da Holanda, Aruba, Curaçao e São Marten. Em consequência das mudanças políticas que passaram a vigorar em 10 de outubro de 2010, a unidade do estado das Antilhas Holandesas foi extinta e Curaçao e São Marten obtiveram o estranho “status quo” de países autônomos dentro do Reino dos Países Baixos (leia-se da Holanda).

Na mesma data, as ilhas de Bonaire, Saba e São Eustátios tornaram-se um estranho “organismo público” dos Países Baixos (leia-se da Holanda). Todas as ilhas holandesas no Caribe são administradas por um governo com primeiro-ministro e Conselho de Ministros. Mas, acima de cada um deles, há um governador nomeado pelo governo central do Reino (leia-se da Holanda). Já os ministérios de Relações Exteriores e Defesa são excluídos das administrações locais, sendo administrados exclusivamente pelo governo central do Reino (leia-se da Holanda).

Os territórios das ex-Antilhas Holandesas não são membros da União Europeia (UE), mas os ilhéus residentes em todas as ex-Antilhas Holandesas possuem passaporte holandês, apesar de não serem considerados holandeses. As ex-Antilhas Holandesas exportam seu único produto, que é o turismo.

Pedro Belasco

Sucursal do Caribe.