Otimismo cai e para 51% da população país está no rumo errado

Com piora da avaliação de Bolsonaro, perspectiva de superação de crise diminui mas expectativas com futuro do governo ainda se mantém.

Conjuntura / 11:16 - 22 de mar de 2019

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

Pesquisa da agência Hello Research intitulada Hello Monitor Brasil, aponta que entre janeiro e fevereiro de 2019 a proporção de pessoas que acreditam que o Brasil está no rumo certo caiu sete pontos e a das pessoas que acreditam que estamos no rumo errado aumentou 11, atingindo 51% da população. Os movimentos ultrapassam a margem de erro do estudo, que é de três pontos percentuais para mais ou para menos. As maiores diferenças foram sentidas entre o público masculino e de classe A/B, exatamente os públicos que demonstraram as melhores avaliações no primeiro mês da administração Bolsonaro.

Sobre o sentimento que os entrevistados nutrem em relação ao futuro do Brasil, a soma das respostas positivas "Entusiasmo + otimismo" caiu 10 pontos percentuais entre janeiro e fevereiro, representando hoje o sentimento de 40% da população. Esse movimento inverteu a balança, e agora 50% da população diz sentir-se preocupada ou revoltada com o futuro do Brasil. A avaliação da administração Bolsonaro perdeu oito pontos entre a soma das respostas "ótimo e bom", indo de 39% em janeiro para 31% em fevereiro. Na outra ponta, oscilou quatro pontos para cima as respostas com avaliações "ruim + péssimo", que agora representa a opinião 21% da população.

O aumento da criticidade no segundo mês de presidência de Bolsonaro ainda refletiu sobre a perspectivas dos brasileiros em sair da crise econômica. Isso porque, em janeiro, 56% da população acreditava que a crise econômica não seria superada em 2019, e em fevereiro essa parcela cresceu para 66%. No entanto, as expectativas da população com o futuro do governo ficaram preservadas, não sofrendo alterações importantes: a cada 10 brasileiros, três dão nota máxima para suas expectativas.

"Os resultados apontam que a mudança no eixo do poder da política nacional não foi o suficiente para recuperar o humor da população após tantos anos de crise. A paciência ainda está curta, e o sentimento de estarmos vivendo uma crise persiste. O novo governo vai precisar melhorar sua comunicação para reverter a tendência de perda de apoio. Ao seu favor, vê-se que o desgaste inicial da gestão não foi suficiente para alterar as expectativas da população com o futuro do governo, desde aqueles que têm muita expectativa até os que não nutrem expectativa alguma", analisa o diretor da Hello, Denis Bertoncello

O levantamento entrevistou pessoalmente 1.326 pessoas em domicílio entre os dias de 15 e 24 de fevereiro de 2019. A coleta aconteceu em 72 municípios das cinco regiões brasileiras, com amostra probabilística e margem de erro de 3 pontos percentuais, representativa da população brasileira de áreas urbanas de acordo com os dados do Censo 2010 do IBGE.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor