Os trouxas e a meia dúzia de cartéis

Juros da dívida eram menos de 60% dos gastos com pessoal em 2002; agora, superam as despesas com funcionalismo.

Fatos e Comentários / 19:53 - 12 de ago de 2019

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

A legislação é capturada por piratas privados, permitindo a exploração de 200 milhões de trouxas por meia dúzia de cartéis”, vociferou o ministro Paulo Guedes, irritado com os números do próprio Banco Central que indicam que, quando saírem os dados oficiais do IBGE, o Brasil estará em recessão. A afirmação do ministro não é diferente do que dizem analistas progressistas. O problema é quem compõe esta meia dúzia de privilegiados.

Guedes insinua que é a alta burocracia, quem sabe os políticos e os tribunais. Deveria procurar no seu círculo de amigos. Quem faz de patos 200 milhões de habitantes são os que vivem de mamar nas generosas tetas dos juros pagos pelo Tesouro e Banco Central.

Vamos aos números, cortesia de Marcio Pochmann, professor do Instituto de Economia da Unicamp. Em 2002, o gasto com funcionalismo público ativo e inativo representava 4,8% do PIB; em 2017, caiu para 4,3% do PIB.

Se considerarmos também a evolução das despesas públicas com pessoal e juros”, escreve Pochmann em artigo no Jornal dos Economistas, “encontra-se o principal vilão do déficit nominal. Resumidamente, a despesa pública com juros, em 2017, foi 21% superior ao conjunto de gastos com pessoal no Governo Federal, enquanto, em 2002, os juros da dívida pública equivaliam a 58,3% do que o Governo Federal comprometia com o pagamento das despesas de pessoal ativo e inativo”.

Só para reforçar: os juros da dívida eram menos de 60% dos gastos com pessoal; agora, superam as despesas com funcionalismo. Trouxas são os outros.

 

Alguém viu o caminhão?

O presidente Mauricio Macri não foi o único derrotado neste final de semana. Os institutos de pesquisa foram igualmente atropelados pela realidade. As pesquisas indicavam uma diferença apertada para a chapa Alberto Fernandés–Cristina Kirchner, algo como 3 a 4 pontos percentuais. A dupla abriu nas primárias mais de 15 pontos e seria eleita em primeiro turno se as eleições de outubro fossem hoje (como manda o jargão dos institutos).

 

Alternativas para o Rio

Fomentar discussões que apontem alternativas de saída da crise econômica enfrentada pelo Rio de Janeiro é o objetivo do ciclo de palestras “Corecon-RJ e Rede Pró-Rio: uma agenda para o Rio e seus municípios”

O tema da discussão desta quarta (14), às 19h, é “Gestão e Finanças Públicas no Rio de Janeiro”. Os debatedores são Ricardo Lodi (Uerj), Fernando Gaiger (Ipea) e Paula Nazareth (Rede Pró-Rio), que serão mediados por Geiza Rocha (Fórum Permanente de Desenvolvimento da Alerj). Os encontros acontecerão na sede do Conselho Regional de Economia (Av. Rio Branco, 109 – auditório do 19° andar). A entrada é livre.

Será lançado o livro Desigualdade e Tributação na Era da Austeridade Seletiva, de Ricardo Lodi

 

Inverno no Rio

Julho, mês de férias. Qual o perfil do turista estrangeiro que visitou o Rio de Janeiro? Metade tem nível médio de educação (35% tem nível superior, e 15%, básico); 18% vieram dos EUA, 16%, de Portugal, e 13%, da Argentina; 57% têm menos de 40 anos; o gasto médio diário se situou entre US$ 140 e US$ 260.

A população de rua, os ambulantes e a limpeza da cidade foram os principais pontos negativos apontados pelo visitante de fora. Os positivos: metrô, população anfitriã e segurança nas áreas turísticas.

A pesquisa foi realizada em parceria da Associação dos Embaixadores de Turismo do RJ e do Portal Consultoria em Turismo, de 5 a 25 de julho de 2019, com mil visitantes internacionais. Teve apoio da Fundação Cesgranrio, da Escola de Turismo Cieth e da Sergio Castro Imoveis e coordenação dos professores Bayard Boiteux e Marcos Neves.

 

Reverência

Junho de 2018. Arrolado pela defesa de Lula como testemunha, FHC depõe a Moro. De antemão, o juiz se desculpa com FHC pelo “constrangimento” de estar ali. Depois, pela pergunta “incômoda” feita pelo advogado de Lula. Sérgio Cabral Filho quer saber se ainda dá pra voltar pro PSDB.

 

Rápidas

A Associação Comercial do Rio de Janeiro (ACRJ) recebe o presidente da Caixa, Pedro Duarte Guimarães, para o Almoço do Empresário, dia 23, às 11h30 *** O IAG – Escola de Negócios da PUC-Rio está com inscrições abertas para a primeira turma do programa Innovation & ExO (Organizações Exponenciais): Inovação para Organizações e Líderes do Futuro: iag.puc-rio.br/pt/curso/programa-innovation-exo-inovacao-para-organizacoes-e-lideres-do-futuro

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor