OMC por OCDE: ‘Não há um balanço tão claro de perdas e ganhos’

Presidente da Abit acha ingresso na OCDE positivo, mas acha que deve-se discutir perdas com fim do tratamento diferenciado na OMC.

Fatos e Comentários / 18:57 - 22 de mar de 2019

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

Estar na OCDE é importante para o país, mas o Brasil deveria trabalhar para manter o tratamento especial na OMC, porque outros países de renda média, como China, Índia, Cingapura e Coreia, acabam se utilizando, e isso prejudica o Brasil. Assim analisa para a coluna o presidente da Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (Abit), Fernando Pimentel, a discussão iniciada na reunião entre os presidentes Trump e Bolsonaro, sobre o ingresso do país na Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico, em troca de abrir mão do status que nos beneficia na Organização Mundial do Comércio.

Estar na OCDE é importante para o país, que já participa da entidade, na prática. Apesar de não sermos membros, é um dos países que mais introjetou as normas da organização. É importante porque, dada a qualidade dos integrantes, nos ajudará em todas as normas de governança pública. Por exemplo, o Brasil aderiu recentemente às ações contra a pirataria no âmbito da OCDE. A Abit tem participado de fóruns sobre a cadeia de suprimentos internacional de têxtil, confecções e calçados”, relata Pimentel.

Ele prossegue: “Claro que o ideal seria que nós continuássemos a manter os ‘privilégios’ do status de país em desenvolvimento na OMC, o qual se mantém. Este status não é o mesmo que o tratamento especial diferenciado (TED); o primeiro é autodeclatório e será mantido. Quão importante é o TED? Não tem sido muito, mas seria interessante mantê-lo. Serve, por exemplo, para você ter um prazo maior para implementar acordos na OMC, isso seria bom. O TED também permite maior uso de subsídios na agricultura, mas nós estamos hoje em patamares inferiores aos permitidos.”

De qualquer maneira, não há um balanço tão claro de perdas e ganhos”, afirma o presidente da Abit. “É muito bom a nosso ver entrarmos para a OCDE, por tudo que representa em termos de governança e atuação num fórum das grandes economias mundiais. Ao mesmo tempo, o Brasil tem uma característica de um país em desenvolvimento, com bolsões de país de primeiro mundo e bolsões muito atrasados, refletindo nossa desigualdade. Então, não é algo que tenha uma perda material visível, mas, de qualquer maneira, é uma negociação, e acho que a sociedade vai balancear este discurso.”

A princípio, nós achamos positivo que o Brasil aceda à OCDE e vamos discutir essa outra questão que diz respeito a algumas perdas do tratamento diferenciado”, resume.

 

Mundo girar

O navio veleiro Cisne Branco, espécie de embaixada flutuante da Marinha do Brasil, parte nesta segunda em seu tour anual pelo mundo levando a bordo a premiada cachaça Magnífica. Serão servidas doses e caipirinhas nos eventos do navio. Representantes dos países visitados ganharão garrafas especiais.

A carioca Magnífica foi premiada, entre outras vezes, na Itália como a melhor cachaça envelhecida no ShowRoom Tasting Competition 2016. A primeira parada será em Barbados. Seguem Estados Unidos, Açores, Holanda, Suécia e Dinamarca.

 

Preventivo

Quando um deputado estadual do Rio de Janeiro chama de “companheiro” um parlamentar preso, ele assim o faz por ser o colega deputado ou por ser a prisão um futuro comum?

 

Patriarca parcial

Fabrício Queiroz, patriarca à moda antiga, centraliza em sua conta os salários das filhas e da mulher. Mas da filha Nathália Queiroz só ficava com a parte que ela ganhava como assessora de Jair Bolsonaro. Os ganhos como “personal trainer”, 3 vezes maiores, não foram para o pai.

 

Rápidas

O economista-chefe do Bradesco, Fernando Honorato, abre nesta terça-feira o Fórum de Gestão de Saúde, que a Associação Brasileira de Recursos Humanos (ABRH-RJ) promove no auditório da Firjan *** O Tribunal de Justiça de Goiás (TJGO) e o Instituto Justiça & Cidadania realizarão, em 11 e 12 de abril, o VIII Fórum Nacional de Mediação e Conciliação (Fonamec), com o tema “Fóruns Multiportas”, discutindo as mais modernas técnicas de mediação e conciliação judicial. O presidente do Supremo, ministro Dias Toffoli, confirmou presença. Informações em institutojc.com.br *** O Caxias Shopping receberá no próximo dia 30 o “Ponto de Leitura” do Sesc, das 14h às 18h *** O Carioca Shopping preparou uma edição especial de seu Baile Dançante para celebrar o mês das mulheres, nesta terça-feira, das 15h às 19h *** Rodolfo Fücher é o novo presidente da Associação Brasileira das Empresas de Software (Abes).

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor