O novo que não é tão novo assim

Fatos & Comentários / 11 Agosto 2017

Aplicativos como Airbnb e Uber não podem ser considerados exemplos de economia compartilhada ou colaborativa. “O Airbnb e o Uber, assim como a Amazon, são modelos de negócio. Não tem diferença, do ponto de vista da natureza dos negócios, eu alugar meu apartamento por três dias, por 70 dias ou um ano. Existem corretores que administram vários imóveis que são alugados pelo Airbnb. O dono não disponibiliza sua casa em troca de outro imóvel, não é a mesma coisa que eu disponibilizar carona no meu carro e dividir custos”, destaca Dora Kaufman, pesquisadora do Centro de Pesquisa em Redes Digitais Atopos ECA/USP e pós-doutora pela Coppe-UFRJ.

Hoje, o Airbnb é a segunda maior empresa de hospedagem do mundo, não é uma startup, é uma potência. E isso impacta diretamente a hotelaria, que pressiona por uma regulamentação, e altera até mesmo a configuração dos bairros. Por exemplo, em Berlim gerou a gentrificação de áreas, e esse é um dos milhões de impactos não diretos desses novos negócios”, mostra Dora, que participou esta semana do seminário Impactos da Economia Colaborativa – Alimentação, Transporte e Agências de Viagem, que faz parte do ciclo de eventos Turismo – Cenários em Debate, organizado pelo Conselho Empresarial de Turismo e Hospitalidade (Cetur) da Confederação Nacional do Comércio (CNC).

Um levantamento realizado pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) em todas as capitais do país revela que as modalidades de consumo colaborativo mais conhecidas e utilizadas pelos brasileiros são o aluguel de casas e apartamentos em contato direto com o proprietário (40%), caronas para o trabalho ou faculdade (39%) e aluguel de roupas (31%). “Os economistas estão chamando de economia híbrida a convivência entre a indústria tradicional – ainda predominante na geração de riqueza na economia – e a economia colaborativa ou compartilhada, que é considerada quando, de alguma forma, no modelo de negócio há colaboração”, destaca a pesquisadora da ECA/USP.

Difícil convivência, se alguns travestem suas empresas como colaborativas para fugir de regulamentações e impostos que recaem sobre as companhias tradicionais.

 

Fiscais na justiça

O Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais Federais Agropecuários (Anffa Sindical) entrou com mandado de segurança contra portaria dos ministros da Agricultura (Mapa) e do Planejamento que autorizou a contratação de 300 médicos veterinários para atuação temporária na fiscalização agropecuária.

A entidade questiona a urgência da contratação e alega que ela não resolve o atual problema da fiscalização agropecuária. “Desde 2012 o Mapa sabe que há um déficit de pessoal na fiscalização”, afirma o presidente do Anffa Sindical, Maurício Porto. Além disso, segundo o sindicalista, a fiscalização não pode ser feita por profissional que não seja de carreira.

 

Nuances

Sobre a nota “As ditaduras da Folha”, publicada aqui sexta-feira, leitor lembra o episódio do jornal paulista, ao comparar os regimes militares no Brasil e na Argentina, classificou o que houve aqui de “ditabranda”.

 

Rápidas

A Abimo, que reúne a indústria de equipamentos médicos, odontológicos e hospitalares, realiza dias 17 e 18, em São Paulo, a sexta edição do Congresso de Inovação em Materiais e Equipamentos para Saúde – Cimes *** A Fundação Getulio Vargas organiza dia 26 próximo, no Rio de Janeiro, o VI Seminário de Gestão Esportiva FGV | Fifa Master Alumni Detalhes em http://sv.www5.fgv.br/fgvonline/seminariogestaoesportiva *** Até dia 31, a Marinha recebe inscrições para 90 vagas no concurso público do Corpo Auxiliar de Praças (CAP), destinado a jovens até 25 anos com Ensino Médio Técnico. Detalhes em ingressonamarinha.mar.mil.br *** A reforma trabalhista será tema da palestra promovida pela Roncato Advogados nesta terça-feira, às 9 horas, em São Paulo. A inscrição gratuita pode ser feita pelo e-mail eventos@roncatoadvogados.com.br *** O grupo Águas do Brasil foi vencedor na segunda edição do Prêmio Sustentabilidade, com o projeto Olhar Ambiental. O evento é promovido pelo Sindicato Nacional das Concessionárias Privadas de Serviços Públicos (Sindcon) *** “A incidência de contribuições previdenciárias sobre a previdência complementar fornecida pela empresa aos trabalhadores” é o tema da palestra que o tributarista André Mendes Moreira, sócio do Sacha Calmon-Misabel Derzi Consultores e Advogados e professor de Direito Tributário na UFMG, fará dia 23, no III Seminário do Carf de Direito Tributário e Aduaneiro, na Escola de Administração Fazendária, em Brasília.