O dever do cidadão na preservação ambiental

Direito Ambiental / 7 março 2017

O processo de educação social quanto ao desenvolvimento das formas para aproveitamento do material reciclado normalmente é indicado por uma regra em que se contem a redução a reutilização e reciclagem deste material. Em excelente trabalho da USP encontramos os caminhos indicados para utilização destas regras. Na verdade, todos somos responsáveis pela emissão de uma considerável parcela de CO2 para atmosfera. Podemos assinalar que estes produtos industrializados são utilizados, entre outras atividades empresariais, na produção de carros ou ônibus para a nossa produção. Destaca o material pesquisado que “um norte-americano ou europeu, em média, é responsável pela emissão de cinco toneladas de CO2 por ano, enquanto que em países não industrializados, essa média cai para 0,5 tonelada. Portanto, para contribuir menos para o efeito estufa basta consumir menos (reduzir o consumo!!)”.

Mas como fazer isso numa sociedade com tantos apelos ao consumo? Para cada tonelada de papel reciclado, de 10 a 20 árvores são poupadas. Isto representa uma economia de recursos naturais, as árvores não cortadas continuam absorvendo CO2 pela fotossíntese, e gasta-se a metade da energia para reciclar o papel que para produzi-lo pelo processo convencional. Uma latinha reciclada economiza em energia o equivalente ao consumo de um televisor ligado por três horas. Veja que quando falamos em economia de energia, isto representa uma economia de combustível que seria queimado pela indústria, que implica numa redução na emissão de gás carbônico para a atmosfera, que implica numa diminuição do efeito estufa. O Brasil é o país que mais recicla as latas de alumínio (refrigerante, cerveja) no mundo, chegando a 96% em 2004.

Reciclagem de papel

De 10 a 20 árvores são poupadas por cada tonelada de papel reciclado.

O processo de reciclagem de papel economiza mais de 50% da energia utilizada no processo convencional.

Minimiza a poluição por gazes e efluentes, que é muito grave nas fábricas de celulose.

Utiliza 50 vezes menos água na produção.

Reciclagem de plástico

Há economia de recursos não renováveis como o petróleo.

A reciclagem economiza 90% da energia utilizada no processo normal de fabricação.

Diminui o volume de lixo a ser aterrado, pois sua decomposição no solo pode ser superior a 200 anos.

Reciclagem de vidros

Não altera o ecossistema através da extração da areia, barrilha, calcário, feldspato e outros minerais.

Economiza energia, pois o caco de vidro funde a temperaturas mais baixas.

Minimiza a produção de gases tóxicos (reduz a poluição)

Diminui o volume de lixo nos aterros sanitários, pois a decomposição do vidro no solo é superior a 2000 anos.

Reciclagem de metais

Uma latinha reciclada economiza em energia o equivalente ao consumo de um televisor ligado por três horas. A reciclagem do alumínio representa uma economia de 95% da energia necessária no processo convencional.

A fabricação de alumínio a partir da bauxita produz grandes quantidades de subprodutos poluentes.

Para cada kg de alumínio reciclado, se economiza 5kg de bauxita.

Com a reciclagem do lixo consegue-se:

Reduzir o consumo de energia e água.

Reduzir os custos de produção devido ao reaproveitamento de recicláveis pelas indústrias de transformação.

Gerar recursos que podem ser empregados na área social.

Mudar o comportamento em relação ao desperdício.

Fortalecer uma nova mentalidade ambiental.

Aqui vão algumas dicas para você se tornar um cidadão que preserva o meio ambiente:

1 – Não aceite sacolas plásticas se dá para carregar sua compra sem ela, ou se vai jogar fora depois.

2 – Só aceite outra sacola plástica se aquela que você tiver nas mãos já estiver totalmente cheia.

3 – Escreva dos dois lados do papel.

4 – Sempre que puder consuma bebidas que vem em recipientes retornáveis.

5 – Evite comprar alimentos com muita embalagem.

6 – Economize energia e água.

7 – Ande mais a pé e de bicicleta.

8 – Eduque seu filho, amigo, vizinho.

9 – Recicle papel, latas, vidros, e plásticos.

A ideia de desenvolvimento sustentável tenta achar vias para que a humanidade mantenha o progresso material em harmonia com a preservação da natureza.

Desembargador Sidney Hartung Buarque

Mestre em Direito Civil.

FONTE: http://www.usp.br/qambiental/tefeitoestufa.htm