Advertisement

Noções de biodiversidade

Direito Ambiental / 24 Abril 2018

A defesa e proteção à natureza têm muita relevância quando se destaca os motivos para sua conservação. O ponto nodal, justamente, é verificar o equilíbrio ambiental, que jamais podemos deixar em segundo plano, a fauna e a flora. Diante disso, temos sempre que levar em consideração, quando falamos em biodiversidade, a variação entre os seres vivos de qualquer espécie ou ourives. Precisamente se procura realçar e destacar a fauna, o desenvolvimento e a conservação do meio ambiental. Não podemos deixar de termos sempre em conta que o mundo animal se torna fundamental para a nossa manutenção; por outro lado, não há como se entender as condições na natureza em prol do homem se não tivermos um conhecimento detalhado de como é indispensável para a sobrevivência da vida em nosso planeta. Aproveitando o ensejo, vamos transcrever alguns trechos da excelente pesquisa da Wikipédia, a enciclopédia que muito nos tem socorrido. No texto em questão, vamos descobrir a importância da biodiversidade.

Biodiversidade pode ser definida como variabilidade entre os seres vivos de todas as origens; a terrestre, a marinha e outros ecossistemas aquáticos e os complexos ecológicos dos quais fazem parte. Essa variabilidade aparece apenas como resultado da natureza em si, sem sofrer intervenção humana. Assim, ela pode variar de acordo com as diferentes regiões ecológicas. Refere-se, portanto, à variedade de vida do planeta Terra, incluindo a variedade genética dentro das populações e espécies, a variedade de espécies da flora, da fauna, de fungos microscópios e de micro-organismos, a variedade de funções ecológicas desempenhadas pelos organismos nos ecossistemas; a variedade de comunidades, habitats e ecossistemas formados pelos organismos.

A biodiversidade refere-se tanto ao número de diferentes categorias biológicas quanto à abundância relativa dessas categorias. E inclui variabilidade ao nível local, complementaridade biológica entre habitats e variabilidade entre paisagens. Ela inclui, assim, a totalidade dos recursos vivos, ou biológicos, e dos recursos genéticos, e seus componentes. A espécie humana depende da biodiversidade para a sobrevivência. O termo foi cunhado por Thomas Lovejoy, mas não há uma definição consensual de biodiversidade. Uma definição é “medida da diversidade relativa entre organismos presentes em diferentes ecossistemas”. Esta definição inclui diversidade dentro da espécie entre espécies e diversidade comparativa entre ecossistemas.

A biodiversidade não é estatística. É um sistema em constante evolução tanto do ponto de vista das espécies como também de um só organismo. A meia-vida média de uma espécie é de 1 milhão de anos, e 99% das espécies que já viveram na Terra estão hoje extintas. A biodiversidade não é destruída igualmente na Terra. Ela é, sem dúvida, maior nos trópicos. Quanto maior a latitude, menor é o número de espécies, contudo, as populações tendem a ter maiores áreas de ocorrência. Este efeito que envolve disponibilidade energética, mudanças climática em regiões de alta latitude é conhecido como efeito rapoport.

Durante as últimas décadas, uma grande erosão da biodiversidade vem sendo observada. A maioria dos biólogos acredita que uma extinção em massa está a caminho. Apesar de divididos a respeito dos números, muitos cientistas acreditam que a taxa de perda de espécies é maior agora do que em qualquer outra época da história da Terra. Observou-se também uma preocupação crescente com questões ambientais globais, devido principalmente à degradação do meio ambiente e práticas não sustentáveis. Apesar de não haver consenso quanto ao tamanho e ao significado da extinção atual, muitos consideram a biodiversidade essencial.

Caro leitor, estamos sequenciando as matérias para um melhor aprendizado e conhecimento dos temas.