Natal no Rio vai movimentar R$ 2,7 bi na economia do estado

Levantamento mostrou que 7,8 milhões de pessoas vão comprar presentes no estado; tíquete médio será de 353,96.

Rio de Janeiro / 17:22 - 19 de dez de 2019

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

Segundo dados do Instituto Fecomércio de Pesquisas e Análises (Ifec-RJ), 61% dos entrevistados pretendem comprar presentes na data, porcentagem que corresponde a 7,8 milhões de pessoas. A movimentação com as compras de Natal vai representar uma injeção de R$ 2,7 bilhões na economia do Estado do Rio de Janeiro.

A pesquisa verificou também que a cada 10 pessoas, sete (69,8% dos entrevistados) pretendem comprar mais de um presente. O gasto médio com as compras de todos os presentes deve ser de aproximadamente R$ 353,96, mesmo nível do ano passado para 49,8% dos entrevistados.

Roupas representam a opção número um dos consumidores fluminenses na hora de escolher um presente, com 56,4% das intenções de compra. As famosas "lembrancinhas" estão em segundo lugar na lista, com 47,2%. Em terceiro lugar na preferência estão os brinquedos, com 43,6%.

Cerca de 39,7% dos entrevistados disseram que preferem presentear com calçados, bolsas e acessórios; 38,4% dos consumidores comprarão perfumes e cosméticos e 24,9% vão optar por joias ou bijuterias para dar de presente. Os eletrônicos aparecem apenas na 7ª posição de preferência dos fluminenses, com 21,6% das intenções de compra.

Levantamento do IFec-RJ revelou dados sobre a perspectiva de contratação de temporários para o fim do ano, período mais aguardado pelos empresários do comércio. Segundo resultado do estudo, aproximadamente 25 mil estabelecimentos fluminenses pretendem realizar, ou já realizaram, contratações provisórias para o Natal e para a alta temporada. Com isso, entre os meses de outubro e dezembro, cerca de 25 mil vagas serão ofertadas. Na análise do IFec-RJ, a contratação de temporários será a melhor dos últimos 10 anos.

Em dezembro, 25,1% dos novos empregos temporários devem ser ofertados, demonstrando a importância do Natal e do Réveillon para o comércio em geral.

 

Aumento de até 15% em compras - Pesquisas encomendadas pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) reforçam o otimismo e apontam que 65% dos consumidores devem se autopresentear na data - um crescimento de 11 pontos percentuais em relação a 2018. A estimativa é de que 101,6 milhões de pessoas comprem algum presente para si mesmo neste fim de ano, o que promete movimentar cerca de R$ 36,7 bilhões na economia.

Em média, as pesquisas mostram que os consumidores planejam comprar dois presentes para si próprios, além dos outros. O gasto médio do presente será de R$ 170, sendo que 42% têm intenção gastar até R$ 150. Os itens mais desejados são roupas (55%), calçados (31%), perfumes e cosméticos (27%), celulares ou smartphones (17%), acessórios (14%) e livros (11%).

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor