Advertisement

Na busca de lucro, Embraer transfere produção para os EUA

​​​​​​​Com parceira da Sierra Nevada Corporation atenderá encomenda da Força Aérea da Nigéria de 12 A-29 Super Tucano

Mercado Financeiro / 06 Fevereiro 2019 - 21:38

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

A Embraer segue tentando intensificar o ritmo de venda de aeronaves e garantir receita superior a obtida em 2018, que ficou U$S 200 milhões abaixo do previsto na área de defesa. A companhia anunciou nesta quarta-feira que sua divisão Defesa & Segurança, em conjunto com sua parceira norte-americana Sierra Nevada Corporation (SNC), receberam encomenda de 12 aeronaves de ataque leve e treinamento avançado A-29 Super Tucano para a Força Aérea da Nigéria. A Embraer informou que os aviões serão utilizados em missões de apoio aéreo tático.

Em 16 de janeiro, a Embraer comunicou ao mercado que seu lucro pequeno ou mesmo nulo nos próximos dois anos. O alerta foi feito na ocasião da apresentação das projeções preliminares da empresa para 2019 e 2020, durante encontro com investidores na Bolsa de Valores de Nova York (NYSE). A fabricante explicou aos investidores que espera ter uma posição líquida de caixa quando concluir a venda do controle de sua divisão de aviação comercial para a Boeing, estimada para o final de 2019.

Lembrando que em 2018, a Embraer não conseguiu cumprir várias de suas projeções, ficando abaixo em pelo menos US$ 250 milhões da previsão de receita na divisão de aviação executiva e US$ 200 milhões abaixo do previsto na área de defesa. Para este ano, a fabricante de aeronaves estima que as receitas totais fiquem entre US$ 5,3 bilhões e US$ 5,7 bilhões.

A parceria entre Embraer e Boeing prevê a criação de uma nova empresa avaliada em US$ 5,26 bilhões. A Boeing será controladora da empresa, com 80% de participação, ao fazer um pagamento de US$ 4,2 bilhões (o equivalente a R$ 16,4 bilhões), cerca de 10% maior que o inicialmente previsto. Já os 20% restantes serão da fabricante brasileira, que poderá vender sua parte para a norte-americana a qualquer momento, por meio de uma opção de venda.

Produção nos EUA

As 12 aeronaves modelo A-29 Super Tucano para a Força Aérea da Nigéria serão produzidas em Jacksonville, na Flórida, e modificadas pela SNC em Centennial, no Colorado. As entregas à Nigéria devem ocorrer de acordo com os prazos estipulados em contrato como parte de um pacote mais amplo de treinamento e suporte. A fabricante brasileira não especificou a data de entrega.

O A-29 realiza missões de combate diariamente em várias regiões do planeta. A aeronave acumula mais de 46.000 horas de combate e mais de 360.000 horas de voo. Com a encomenda da Nigéria, o A-29 já foi selecionado por 14 forças aéreas em todo o mundo.

A SNC tem orgulho de trabalhar com a Embraer Defesa & Segurança na produção dos A-29 para a Força Aérea da Nigéria para atender às suas necessidades contínuas de treinamento e segurança”, disse Taco Gilbert, vice-presidente sênior da área de ISR da SNC. “O A-29 tem experiência comprovada em combate e foi projetado e construído para a missão na Nigéria. É a solução mais confiável e econômica para voos básicos e avançados e para o treinamento de combate, operações de apoio aéreo tático, ISR (Inteligência, Vigilância e Reconhecimento), contrainsurgência e cenários de guerra irregular”.

O A-29 Super Tucano se tornou uma referência mundial em ataque leve e treinamento avançado com histórico comprovado em várias zonas de combate ao redor do mundo”, disse Jackson Schneider, presidente e CEO da Embraer Defesa & Segurança. “A Embraer dá as boas-vindas à Nigéria como o mais recente país-membro dessa verdadeira coalizão internacional que está ajudando a trazer a paz para o mundo.”

Segundo a Embraer, além do reconhecido histórico de combate, o robusto trem de pouso do A-29 permite decolagens e pousos em pistas não preparadas. Seu sistema de armas também oferece confiabilidade e precisão excepcionais, aumentando a eficácia nas missões de ataque leve.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor