MUFG (Banco de Tokyo): Corte de 50 pontos-base como esperado

Opinião do Analista / 07 Dezembro 2017

Expectativa dos economistas - O principal gatilho que pode definir o próximo passo da política monetária é o progresso da reforma da previdência no Congresso. Considerando um cenário positivo, diferente de nosso cenário básico, em que a Câmara dos Deputados aprova a reforma da previdência sem mudanças significativas na proposta atual até a próxima reunião do Copom, então neste caso, o real brasileiro pode valorizar um pouco, o risco de rebaixamento de nosso rating soberano tende a desaparecer, e o Banco Central pode se sentir mais confiante para reduzir a taxa básica de juros (Selic) em 25 pontos-base ou em 50 pontos-base. Neste caso, interpretamos que a "nova redução moderada da taxa de juros" é mais a favor de um corte de 50 pontos-base em vez de 25 pontos-base. Mas o mercado provavelmente ficará dividido entre as duas possibilidades.

Mas, apesar da tendência do Banco Central para reduzir a taxa Selic na próxima reunião, mantemos a nossa opinião de que a taxa será mantida em 7% nas próximas decisões devido a algumas questões. Em primeiro lugar, é mais provável que a reforma da previdência não seja aprovada no Congresso, considerando o pouco tempo restante para obter o mínimo de apoio necessário de deputados e senadores.

Em segundo lugar, na esfera econômica, avaliamos que o nível de 7% para a taxa Selic já está na zona expansionista, portanto há menor necessidade de reduzir a taxa para estimular a atividade econômica.