MP venezuelano investiga ligação de Guaidó com narcotraficantes

Duas fotografias tiradas no dia 22 de fevereiro mostram o autoproclamado presidente venezuelano abraçado com 2 chefes da facção criminosa.

Internacional / 22:55 - 13 de set de 2019

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

O procurador-geral da República da Venezuela, Tarek William Saab, afirmou nesta sexta-feira que o Ministério Público confirmou os vínculos do deputado de direita Juan Guaidó – autoproclamado presidente interino do país – com membros de um grupo paramilitar de narcotraficantes da Colômbia chamado Los Rastrojos e anunciou o início de uma investigação contra o parlamentar.
“Los Rastrojos são uma facção criminal formada por dissidentes da Autodefesas Unidas da Colômbia, que se desmembrou em 2006. Essa facção trabalha com organizações do narcotráfico colom-biano e com o Cartel de Sinaloa mexicano”, disse.
A denúncia de que Guaidó atravessou a fronteira da Venezuela com a Colômbia auxiliado por narcotraficantes foi feita nesta quinta-feira pelo ativista de direitos humanos colombiano Wilfredo Cañizares. Duas fotografias tiradas no dia 22 de fevereiro mostram o autoproclamado presidente venezuelano abraçado com John Jairo Durán, conhecido como “El Menor”, e Albeiro Lobo Quintero, conhecido como “Brother”.
Segundo Saab, “a polícia da cidade fronteiriça de Cúcuta confirmou que as pessoas das fotos são os líderes deste grupo criminoso”.
As fotos divulgadas nas redes sociais motivaram duras acusações contra Guaidó e o presidente colombiano, Iván Duque Márquez, ameaçando provocar uma nova tempestade política entre os dois países.
O governo colombiano se opõe ao regime de Maduro e desde o começo apoiou, assim como a Administração de Donald Trump e mais meia centena de países, a nomeação de Guaidó como presidente interino. 
 

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor