Movimento no varejo físico cai 5% em agosto e 3,4% no acumulado do ano

Mesmo com Dia dos Pais, fluxo caiu tanto em relação ao mesmo mês do ano passado quanto ao mês anterior.

Conjuntura / 12:45 - 20 de set de 2019

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

Mesmo com a data comemorativa do Dia dos Pais, o fluxo de consumidores no varejo físico brasileiro em agosto de 2019 caiu tanto em relação ao mesmo mês do ano passado (-5%) quanto ao mês anterior (-7,3%). Os dados são da Seed Digital. No período acumulado de janeiro a agosto de 2019, a queda registrada foi de 3,4% frente a igual período de 2018.

"Os números mostram que o varejo - assim como os outros setores da economia - demora para se estabilizar e iniciar uma trajetória de recuperação. Nos próximos meses os indicadores tendem a ter resultados melhores, com a injeção dos recursos do FGTS e do PIS/Pasep na economia, além dos pagamentos de benefícios como o 13º salário. Datas comerciais fortes - Dia das Crianças e Black Friday - tendem a melhorar os dados", diz Sidnei Raulino, CEO da Seed Digital.

Em agosto de 2019, as lojas que estão em shopping centers apresentaram quedas de 5,6% e de 10,6% nas comparações com agosto do ano passado e com julho de 2019. De janeiro a agosto, o recuo foi de 3,1%.

Nas lojas de rua, as retrações foram de 3,7% ante agosto do ano passado e de 7% sobre julho de 2019. No período acumulado a diminuição foi de 3,8%.

"Em agosto do ano passado, o varejo foi bem no Dia dos Pais, o que deixou a base de comparação forte e contribuiu para a queda de 5% na comparação anual. Na evolução mensal, a queda de 7,3% é um movimento comum do varejo, por conta das férias escolares e o impacto que isso causa no fluxo, principalmente em shoppings centers", acrescenta Raulino.

Os índices são fundamentados em pesquisa realizada no varejo ampliado, em três mil pontos, entre shopping centers e lojas, distribuídos em 23 estados e 149 cidades do Brasil. As amostras de shopping e rua têm pesos diferentes.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor