Modalmais - Fechamento 5.12: investidores indecisos

Pedidos de auxílio-desemprego nos EUA encolheram 10 mil posições para 203 mil, quando o projetado era 215 mil.

Opinião do Analista / 12:27 - 6 de dez de 2019

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

O dia de ontem mostrou investidores indecisos sobre o comportamento dos mercados, muito por conta de nenhuma posição nova sobre o acordo comercial bilateral entre os EUA e a China. Somente no final da tarde é que o presidente Trump voltou a abordar o tema, criando suspense, ao dizer que "algo pode acontecer sobre as tarifas de dezembro (teoricamente implantadas a partir de 15 de dezembro), mas que não estão discutindo ainda". Isso produziu alguma recuperação no mercado americano, mas na Bovespa não teve quase repercussão.

Nos EUA, os pedidos de auxílio-desemprego encolheram 10 mil posições para 203 mil pedidos, quando o projetado era 215 mil. O saldo da balança comercial de outubro mostrou déficit em queda para US$ 47,2 bilhões (previsão era de US$ 48,5 bilhões), enquanto o déficit com a China também encolheu para US$ 27,8 bilhões, de US$ 28,0 bilhões. Já as encomendas à indústria, tiveram expansão de 0,3%, igual ao previsto.

A União Europeia quer conversar com o Reino Unido sobre o futuro das relações depois do Brexit. A Aramco está fazendo o maior IPO da histórica no mercado internacional, e hoje ficou ainda mais favorável para a precificação do lançamento. Em reunião em Viena, os países-membros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) aceitaram cortar a produção de óleo em 500 mil barris/dia, acatando sugestão da Arábia Saudita, ajudada pelo Iraque. Convém lembrar que os membros já tinham cortado anteriormente 1,2 milhão de barris/dia. A Rússia aparentemente foi voto vencido, pois não queria a redução. Isso deve valer para o primeiro trimestre de 2020.

Nos EUA, o secretário do Tesouro Mnuchin disse que o crescimento da economia em 2020 será "bastante significativo" e que espera que o Congresso americano aprove rápido o acordo de comércio USMCA com o Canadá e o México. No mercado internacional, o petróleo WTI negociado em Nova Iorque mostrava leve queda de 0,07% e com o barril cotado a US$ 58,39. O euro era transacionado em alta para US$ 1,10 e notes americanos de 10 anos com taxa de juros de 1,796%. O ouro e a prata recuperaram das quedas do início do dia na Comex e commodities agrícolas terminando com viés de alta na Bolsa de Chicago. O minério de ferro negociado na China teve dia de queda de 0,46%, com a tonelada encerrando em US$ 88,65.

No segmento local, a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) anunciou que a produção de veículos encolheu 21,2% no mês de novembro e no ano mostra expansão de 2,78%. Já as vendas de veículos encolheram 4,9% no mês e crescem 8,3% no em 2019. O dia foi de encontro da cúpula do Mercosul e o presidente Bolsonaro foi elogiado. Os líderes querem maior diálogo com a Índia para ampliar preferências tarifárias e fazer acordo de livre comércio com Israel e iniciar conversas com o Vietnã.

A poupança teve captação líquida em novembro de R$ 2,4 bilhões, mas no ano ainda mostra saídas de R$ 3,88 bilhões. A agência de classificação de risco S&P disse que o Brasil tem agenda ambiciosa de reformas, mas o foco está em sua implementação. Acrescentou que o baixo crescimento é que mantém o rating ruim. Aliás, sobre isso, o Credit Suisse disse que em 2020 a classificação pode ser elevada e Mansueto de Almeida do Tesouro espera no mínimo mudança de perspectiva.

No mercado, dia de DIs com juros em alta para os principais vencimentos e dólar terminando o dia em queda de 0,34% e cotado a R$ 4,188. Na Bovespa, na sessão de 03/12, os investidores estrangeiros voltaram a sacar recursos no montante de R$ 230 milhões, deixando o saldo de dezembro em R$ 542,3 milhões e saídas líquidas em 2019 de R$ 39,8 bilhões.

No mercado acionário, dia de queda da Bolsa de Londres de 0,70%, Paris com +0,03% e Frankfurt com -0,65%. Madri e Milão com quedas de respectivamente 0,16% e 0,28%. No mercado americano, o Dow Jones com +0,10% e Nasdaq com +0,05%. Na Bovespa, alta de 0,29%, índice em 110.622 pontos e novo recorde intraday em 111.072 pontos.

Na agenda de sexta, teremos a inflação oficial pelo IPCA de novembro com projeção de algo próximo de 0,45%, acumulando no ano aproximadamente, 3,22%. Nos EUA, teremos o payroll de novembro com a criação de vagas nos setores público, privado e a taxa de desemprego e dados correlatos. Além disso, sairá o volume de crédito ao consumidor de outubro.

.

Alvaro Bandeira

Economista-chefe do Banco Digital Modalmais

Fonte: www.modalmais.com.br/blog/falando-de-mercado

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor