Modalmais - Abertura 5.12: Bovespa ultrapassa 110 mil pontos

Destaque de ontem ficou por conta do novo recorde de pontuação do Ibovespa, fechando na máxima do dia.

Opinião do Analista / 12:34 - 5 de dez de 2019

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

Ontem, o destaque ficou por conta do novo recorde de pontuação do Ibovespa, fechando na máxima do dia, com alta de 1,23% e índice em 110.300 pontos, com o mercado local sendo ajudado pela boa performance dos mercados no exterior.

Hoje, mercados da Ásia capturaram isso com altas durante a madrugada, exceto a Bolsa de Seul em queda de 0,39%. Na Europa, comportamento misto nesse início de manhã e futuros do mercado americano com pequenas altas. Aqui, há espaço para seguirmos com altas, mas vamos precisar de manutenção do fluxo de recursos para absorver realizações de lucros recentes. Também vamos precisar de boas notícias externas e locais.

No exterior, segue a esperança de acordo entre os EUA e a China na área comercial, com as negociações em andamento e expectativa de redução de tarifas. Se não houver acordo, os EUA devem aplicar tarifas previstas para entrar em vigor em 15 de dezembro. Ainda nos EUA, os Democratas sinalizam que o processo de impeachment de Trump pode conter mais que o imbróglio com a Ucrânia. Já o presidente Trump, abandonou a cúpula da Otan, depois de TV canadense ter capturado piada feita sobre ele por líderes presentes. Trump soltou "marimbondos" sobre Justin Trudeau do Canadá.

No Chile, o Banco Central manteve a taxa de juros básica estável em 1,75%, mesma postura adotada pelo BC da Índia. Na Zona do Euro, o PIB do terceiro trimestre em mais uma leitura mostrou alta de 0,2%, com a taxa anual de 1,2%. Lá as vendas no varejo de outubro encolheram 0,6%, de previsão de alta de 0,1%. Na Alemanha, as encomendas à indústria encolheram 0,4% em outubro de previsão de +0,2%. As encomendas internas caíram 3,2%.

No Japão, o gabinete de governo aprovou pacote de US$ 121 bilhões. No mercado internacional, o petróleo WTI negociado em Nova Iorque mantem alta mais moderada hoje subindo 0,22% e com barril cotado a US$ 58,56. O euro era transacionado em lata para US$ 1,109 e notes americanos com taxa de juros de 1,78%. O ouro e a prata operavam em quedas na Comex e commodities agrícolas com comportamento misto na Bolsa de Chicago.

Aqui, a presidente da CCJ do Senado Simone Tebet, disse que as três PECs encaminhadas pelo governo só devem ser votadas em fevereiro de 2020. O governo mantinha expectativa de votação pelo menos da PEC Emergencial. Lula, Dilma, Palocci e Mantega foram absolvidos pela Justiça do processo conhecido como "quadrilhão do PT".

O pacote anticrime de Sérgio Moro foi aprovado na Câmara, mas sem as principais propostas, enquanto o Senado aprovou a Reforma da Previdência dos Militares que agora segue para sanção. Na agenda de hoje, nenhum item que possa mudar o comportamento dos mercados, mas por aqui vamos precisar de fluxo para manter a Bovespa na trilha de alta. Expectativa também de dólar mais fraco e juros em queda.

.

Alvaro Bandeira

Economista-chefe do Banco Digital Modalmais

Fonte: www.modalmais.com.br/blog/falando-de-mercado

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor