Advertisement

Modalmais - abertura 30.01: Dia deve ser positivo

Bovespa perdeu boa parte da recuperação no final da tarde de 29, mas ainda fechou com alta, de 0,20%.

Opinião do Analista / 30 Janeiro 2019 - 11:12

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

A Bovespa perdeu boa parte da recuperação no final da tarde de 29 de janeiro, mas ainda fechou com alta, de 0,20%, e índice em 95.639 pontos, enquanto o mercado americano encerrou com comportamento misto. Pesa ainda sobre os investidores o estresse com a desaceleração econômica global, discussões sobre o Brexit e retomada das negociações comerciais entre os EUA e a China.

Theresa May obteve aval do Parlamento britânico para voltar a negociar coma União Europeia os termos do Brexit, mas as discussões prometem ser duras, já que a União Europeia não deseja abrir novas negociações, apesar de alguns membros aceitarem, como a Alemanha. Apesar disso, o consenso é que não teremos Brexit sem acordo, e com isso a bolsa de Londres subia forte nesse início de manhã.

Hoje mercados da Ásia terminaram o dia com comportamento misto e comportamento misto também para os principais mercados da Europa, mas com viés de melhora. Nos EUA, os índices do mercado futuro estavam em altas e destaque para os ADRs da Vale subindo 3,4% e cotado a US$ 11,87. Vale e Petrobras podem estimular mercado positivo, já que o petróleo operava com alta em Nova Iorque.

Na França, foi anunciado o PIB do quarto trimestre em alta de 0,3% (previsão era +0,1%) e taxa de expansão em 2018 de 1,5%, contra expansão em 2017 de 2,3%. Na Alemanha, o índice GFK de confiança do consumidor mostrou alta para fevereiro para 10,8 pontos, quando o esperado era 10,3 pontos. A Apple divulgou o resultado do primeiro trimestre fiscal com lucro de US$ 20,0 bilhões e as ações subiram no after market. O Santander divulgou resultado com forte presença dos lucros no Brasil e México. As ações subiam em Madri 2,3%.

Na Zona do Euro, o índice de sentimento econômico encolheu em janeiro para 106,2 pontos, de previsão de 106,5 pontos. No mercado, o petróleo WTI negociado em NY mostrava alta de 0,41%, com o barril cotado a US$ 53,53. O euro era transacionado estável em US$ 1,143 e notes americanos de dez anos com taxa de juros de 2,72%. O ouro e a prata tinham altas na Comex e commodities agrícolas com viés positivo na Bolsa de Chicago.

A Vale em coletiva de imprensa anunciou o descomissionamento de todas as barragens de Minas Gerais, o que vai redundar em queda da produção de 10%, algo como 40 milhões de toneladas de minério e pelotas e custos de R$ 5,0 bilhões. O presidente Jair Bolsonaro reassume a presidência, depois de reversão da colostomia feita na segunda-feira. O pedido de Lula para ir ao velório do irmão foi negado em todas as instâncias do judiciário e pela Polícia Federal por dificuldades de logística.

Na economia, a FGV anunciou que o IGP-M fechado do mês de janeiro foi de 0,01%, com anterior em deflação de 1,08% e, com isso, a inflação por esse indicador em 12 meses está em 6,74%. No mercado, a previsão é de juros e dólar fracos e Bovespa em recuperação. Olho em Vale e Petrobras.

A agenda do dia é muito forte com a divulgação do PIB americano do quarto trimestre e decisão do Fed sobre política monetária que deve reforçar a paciência na elevação dos juros. Logo em seguida, teremos coletiva de imprensa de Jerome Powell, presidente do Fed.

.

Alvaro Bandeira

Sócio e economista-chefe Modalmais

Fonte: www.modalmais.com.br/blog/falando-de-mercado

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor