Modalmais - Abertura 25.10: perspectiva de alta

Mercados americanos trabalham com comportamento misto.

Opinião do Analista / 10:59 - 25 de out de 2019

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

Ontem, a Bovespa teve mais um dia de realização de lucros, depois de três pregões seguidos de alta e três recordes consecutivos de pontuação do Ibovespa. O fechamento foi em queda de 0,52%, com o índice em 106.986 pontos. Mercados americanos trabalham com comportamento misto.

No Brasil, temos grande preocupação com novos passos para reformas necessárias, julgamento do STF sobre prisão em segunda instância e balanços do terceiro trimestre de empresas líderes como Petrobras e Vale. No final da tarde de ontem, a Vale e a Petrobras anunciaram resultados referentes ao terceiro trimestre de 2019, que devem influenciar positivamente a abertura do mercado hoje. Vale registrou lucro de R$ 6,5 bilhões, saindo de prejuízo no trimestre anterior – mas ainda com prejuízo em 9 meses. A Petrobras anunciou lucro de R$ 9,1 bilhões (+36,8%), acumulando resultado de R$ 23,7 bilhões. Ambas reduziram bastante a alavancagem, o que é bem positivo, e o Conselho de Administração da Petrobras aprovou juros sobre o capital de R$ 0,20 por ação.

Hoje, os mercados da Ásia encerraram com altas, exceto Hong Kong, com -0,49%, Europa tenta passar para o campo positivo e futuros dos EUA apresentam comportamento misto, também já tentando ficar no positivo. Por aqui, seria bom recuperar o patamar de 107 mil pontos (faltaram 14 pontos) e buscar patamar acima de 108 mil para consolidar recuperação. Os IPOs de BMG e de C&A movimentaram R$ 3,2 bilhões ontem e no ano já são mais de R$ 70 bilhões em novas ações.

Na Alemanha, o índice GFK de confiança do consumidor de novembro caiu para 9,6 pontos (a previsão era 9,8 pontos). Já o índice IFO de confiança empresarial ficou estável em 954,6 pontos em outubro. Na União Europeia, há concordância em estender o prazo para o Brexit, mas só devem decidir sobre isso na próxima segunda ou terça-feira.

O Banco Central da Rússia decidiu reduzir a taxa básica de juros em 0,50% para 6,50%. No mercado internacional, dia de petróleo WTI negociado em Nova Iorque em queda de 0,25%, com o barril cotado a US$ 56,09. O euro era transacionado em leve alta para US$ 1,111 e notes americanos de 10 anos com taxa de juros de 1,77%. O ouro e a prata tinham altas na Comex e commodities agrícolas com viés de queda na Bolsa de Chicago.

No cenário doméstico, Bolsonaro, em viagem pela China, convidou os chineses a participarem do desenvolvimento do pré-sal e Xi Jinping disse que a cooperação entre os dois países terá futuro brilhante. Já o IPC da Fipe da terceira semana de outubro veio com 0,15%, de anterior em 0,10%. O STF suspendeu julgamento para manutenção de prisão em segunda instância, que será retomado no início de novembro, mas pode não ocorrer depois do voto de Rosa Weber.

Já o governo diz que vai encaminhar medidas tributárias ainda no primeiro decêndio de novembro e as reformas tributárias e administrativa podem caminhar em paralelo. No mercado, os DIs mais longos abrindo com queda de juros e o dólar com queda de 0,45% e cotado a R$ 4,026. Na Bovespa, o dia deve ser de alta, com agenda fraca de eventos.

.

Alvaro Bandeira

Economista-chefe do Banco Digital Modalmais

Fonte: www.modalmais.com.br/blog/falando-de-mercado

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor