Modalmais - Abertura 23.08: atenção em Jackson Hole

Ontem, dólar esteve pressionado e encerrou em alta de 1,19% e cotado a R$ 4,08.

Opinião do Analista / 10:34 - 23 de ago de 2019

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

No último dia 22 de agosto, os investidores operaram diante de prudência aguardando discursos sobre política monetária que ocorrerão hoje em Jackson Hole. Discurso inclusive do presidente do Fed, Jerome Powell. A Bovespa fechou com perda de 1,18%, aos 100.011 pontos e mercados americanos com comportamento misto. O dólar esteve pressionado e encerrou em alta de 1,19% e cotado a R$ 4,08.

Hoje Bolsas da Ásia terminaram o dia com altas (exceto a de Seul com -0,14%), Europa no campo positivo em boa alta e futuro do mercado americano com comportamento idêntico. Na Bovespa, seria bom não perder patamar acima de 99 mil pontos para ganhar faixa superior a 102 mil pontos.

Investidores estão atentos ao discurso de Jerome Powell que foi pressionado durante todo a semana pelo presidente Donald Trump para reduzir juros. Powell fala às 11h no encontro anual de Jackson Hole. Também participa o presidente do Banco Central Inglês (BOE), Mark Carney, por volta das 16h. Horário que a tendência dos mercados de risco pode ser definida para hoje e futuro.

Dirigentes regionais do Fed estão satisfeitos com o patamar de juros atual, próximo da taxa neutra, ou até dentro de área acomodatícia. A agenda fraca de hoje, local e externa, não tem capacidade de mexer com o mercado. Portanto, investidores ligados no lado político local e no encontro de Bancos Centrais.

No Japão, duramente a madrugada, foi anunciada a inflação medida pelo CPI de julho (consumidor) que ficou em 0,1% e taxa anualizada de 0,5%, bem aquém da meta de inflação estabelecida pelo Banco Central Japonês (BoJ). No mercado internacional, o petróleo WTI negociado em Nova Iorque mostrava leve queda de 0,04%, com o barril cotado a US$ 55,33. O euro era transacionado em queda para US$ 1,105 e notes americanos de 10 anos com taxa de juros de 1,63%, em alta. O ouro e a prata em queda nas negociações da Comex e commodities agrícolas com comportamento misto na Bolsa de Chicago.

O relator da reforma da Previdência, Tasso Jereissati adiou a entrega do relatório para a próxima semana. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, viaja ao exterior para discutir preservação do meio ambiente e evita que o Brasil sofra sanções no agronegócio. As empresas estão sendo obrigadas a comprovar novamente que os produtos não têm origem de áreas de desmatamento. Maia não vê grande chance de a CPMF (ou outro nome para imposto semelhante) ser aprovada.

Na economia, a confiança do comércio de agosto subiu 3,2 pontos para 98,7 pontos e a inflação medida pelo IPC-S da terceira quadrissemana de agosto foi negativa em 0,22% de anterior em 0,26%. A expectativa para o dia é de Bovespa em alta seguindo exterior que já começa a enfraquecer das máximas alcançadas. Dólar forte no exterior e no cenário local pode realizar. Juros em queda.

Bom dia e bons negócios.

.

Alvaro Bandeira

Economista-chefe do Banco Digital Modalmais

Fonte: www.modalmais.com.br/blog/falando-de-mercado

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor