Modalmais - Abertura 18.10: dia pode ser de realizações

Mercados da Ásia fecharam a semana com quedas (exceção para a Tóquio), Europa operando mais para o negativo nesse início de manhã.

Opinião do Analista / 11:50 - 18 de out de 2019

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

Ontem foi dia de pequena realização de lucros recentes na Bovespa, depois de seis pregões seguidos de alta. O Ibovespa perdeu 0,39%, aos 105.015 pontos, depois de ter arranhado o patamar de 106 mil pontos. Os mercados nos EUA encerraram em alta.

Hoje, mercados da Ásia fecharam a semana com quedas (exceção para a Bolsa de Tóquio), Europa operando mais para o negativo nesse início de manhã e futuros do mercado americano em queda. Aqui, o importante seria não perder o patamar próximo de 104 mil, onde se dá a maior concentração de visualizações no último mês e meio.

O dia está começando tenso no exterior, com dados de conjuntura fracos anunciados na China. No segmento local, o lado político meio que pegando fogo. Na China, o PIB do terceiro trimestre anualizado cresceu 6,0%, de previsão alta de 6,1%, sendo a menor taxa dos últimos 27 anos. A produção industrial anualizada está em +5,8% e as vendas no varejo com expansão de 7,8%. As vendas de moradias nos nove primeiros meses de 2019 expandiram 10,3%.

No Japão, a inflação medida pelo CPI (consumidor) ficou estável e mostra alta anualizada de 0,2%. Já o núcleo na mesma base expandiu 0,3%. No Reino Unido, o vice-presidente do BOE (BC inglês) disse que um Brexit mais suave como desenhado ontem dá chance para elevação dos juros básicos, um pouco na contramão do resto do mundo, que pensa em maior flexibilização.

Na Alemanha, o governo cortou a previsão do crescimento do PIB de 1,5% para 1,0%, por conta da desaceleração do setor industrial. A Turquia e os EUA conseguiram acertar uma trégua sobre os ataques à Síria, mas têm que "combinar com os russos".

No mercado internacional, dia de petróleo em alta de 0,95%, com o barril cotado a US$ 54,44. O euro em leve alta para US$ 1,113 e notes americanos de 10 anos com juros em alta para 1,766%. O ouro e a prata mostravam quedas na Comex e commodities agrícolas com comportamento misto na Bolsa de Chicago.

Aqui, o cenário político está pegando fogo com a crise no PSL. Delegado Waldir foi mantido na posição de líder, mas vazaram áudios e o mesmo diz que vai implodir Bolsonaro. Já a ex-líder no Congresso falou em traição do presidente tentando interferir no Legislativo com reuniões e telefonemas. Por sua vez, o presidente parece ter avisado o presidente do Senado, Alcolumbre, que não vai mais indicar seu filho Eduardo para a embaixada do Brasil em Washington.

O presidente do BC, Campos Neto, disse nos EUA que o cenário é bom para os emergentes com juros baixos, mas o risco global aumentou pelo nível alto do estoque da dívida. Segundo ele, há espaço para mais queda dos juros internamente. A Petrobras anunciou que a produção de óleo no terceiro trimestre expandiu 16,9% com 2,26 milhões de barris de petróleo dia (BPD).

A FGV anunciou que a segunda prévia do IGP-M de outubro avançou 0,85% (de anterior em -0,28%). No ano, a alta está em 4,98% e em 12 meses em 3,33%. Matérias-primas registraram alta de 2,34%. A expectativa para o dia é de Bovespa realizando mais um pouco, juros em queda e dólar ainda pressionado.

.

Alvaro Bandeira

Economista-chefe do Banco Digital Modalmais

Fonte: www.modalmais.com.br/blog/falando-de-mercado

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor