Modalmais - Abertura 11.09: Brexit em segundo plano

Mercados fecharam com altas na Ásia, exceto por Xangai; Europa operando em alta nesse início de manhã; e EUA, comportamento misto.

Opinião do Analista / 11:32 - 11 de set de 2019

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

Ontem mercados oscilaram pouco e com algumas realizações de lucros recentes no setor bancário e também no varejista (entrada da Amazon Prime). Do lado positivo citamos o comportamento das ações da Vale e siderúrgicas (minério em alta) e Petrobras com corte de oferta e queda dos estoques API.

A Bovespa terminou com queda de 0,14% e índice em 103.031, o Dow Jones com alta de 0,28% e Nasdaq com queda de 0,04%.

Hoje mercados fecharam com altas na Ásia, exceto Xangai com -0,41%, Europa operando em alta nesse início de manhã e futuros do mercado americano com comportamento misto.

Aqui, seguimos mirando o patamar de 104.700 pontos do Ibovespa como meta a ser vencida no processo de recuperação, para buscar em seguida o recorde histórico registrado em 106.650 pontos.

Hoje as complicações com o Brexit passaram para segundo plano, diante da proximidade de decisão do BCE (BC europeu) de amanhã sobre política monetária, podendo ampliar a compra de ativos e mexer em juros para relançar a economia da região. Com o parlamento inglês em recesso a situação do Brexit esfria um pouco. Boris Johnson segue dizendo ser possível fechar acordo até meados de outubro.

Na China, as vendas de automóveis encolheram pela 14ª vez seguida em agosto para taxa anualizada de +6,9% e o governo decidiu isentar 16 produtos (fármacos e inseticidas) já a partir de 17/09 e com duração de um ano. Lá, novos empréstimos expandiram 1,2 trilhão de yuans em agosto (menos que o previsto) e a base monetária M2 com alta anualizada de 8,2%.

Também tivemos a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) divulgando seu relatório mensal, cortando a projeção demanda para 1,02 milhões de barris dia, enquanto a oferta cresceu 10 mil barris dia para 1,99 milhão. A Arábia Saudita subiu a oferta em agosto em 209 mil barris.

O presidente Trump disse que o Fed deveria cortar juros até zero ou negativos e depois refinanciar suas dívidas. Segundo ele os EUA deveriam pagar os juros mais baixos. E a London Stock Exchange recebeu oferta de compra da Hong Kong Exchange de US$ 36,5 bilhões as ações da LSE subiam 6%.

No mercado internacional, o petróleo WTI negociado em Nova Iorque mostrava lata de 1,06%, om o barril cotado a US$ 58,01. O euro era transacionado em queda para US$ 1,100 e notes americanos de 10 anos com taxa de juros de 1,71%. O ouro e a prata com altas na Comex e commodities agrícolas com viés de alta.

Aqui a nova CPMF CP (contribuição sobre pagamentos) não foi bem recebida por segmentos da sociedade e teria alíquota de 0,2% para crédito e débito, e de 0,4%sobre saques e depósitos em espécie. O secretário da Previdência Rogério Marinho disse que o impacto da reforma da Previdência ficou em R$ 876,7 bilhões em 10 anos e ainda vê se será possível retomar alguns pontos alterados. O senador Tasso Jereissati quer fazer alterações no relatório para tornar a votação mais fácil.

A expectativa para o dia é de Bovespa em alta com dólar ainda forte e juros em alta. Mas a agenda do dia pode mudar um pouco os mercados.

Bom dia e bons negócios!

.

Alvaro Bandeira

Economista-chefe do Banco Digital Modalmais

Fonte: www.modalmais.com.br/blog/falando-de-mercado

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor