Modalmais - Abertura 11.07: efeito reforma da Previdência

Bovespa e câmbio reagiram com otimismo à votação da reforma da Previdência antecipando placar favorável.

Opinião do Analista / 11:11 - 11 de jul de 2019

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

No último fechamento de 10 de julho, a Bovespa e o câmbio reagiram com otimismo à votação da reforma da Previdência antecipando placar favorável. Bovespa fechou em alta de 1,23% com índice em 105.817 pontos, com máxima em 106.650 pontos. O dólar fechou em queda de 0,77% e cotado a R$ 3,757, no menor patamar desde fevereiro último.

Mercados reagiram positivamente e seguiram reagindo hoje ao discurso de Jerome Powell, presidente do Fed, feito na Câmara americana, deixando aberta a possibilidade de reduzir juros já na próxima reunião do Fomc que acontece em 31 de julho.

Hoje mercados da Ásia encerraram na madrugada com comportamento de alta, Europa operando em alta, mas agora já bem mais fracas. Futuros do mercado americano no campo positivo.

A Câmara aprovou o texto base da reforma da Previdência com placar surpreendentemente positivo de 319 votos sim e 131 não. Foram 19 votos "sim" da oposição. Nos destaques rejeitaram a retirada de professores, e logo em seguida Rodrigo Maia encerrou a votação de destaques por conta do risco de perderem alguns. A sessão foi suspensa. O placar mostrou que o Congresso está maduro e o mérito ficou com os congressistas.

Do lado negativo, surgem tensões renovadas com o Irã que tentou impedir a passagem de petroleiro do Reino Unido pelo estreito de Ormuz e houve reação britânica. Certamente agrava tensões, depois de Trump dizer que mais sanções serão aplicadas.

Na China, o Investimento Externo Direto (IED) cresceu em junho US$ 16,3 bilhões, alta anualizada de 3,0%. Na Alemanha, a inflação medida pelo CPI (Consumidor) de junho mostrou alta de 0,3% e taxa anualizada de 1,6%. O secretário do Tesouro americano, Mnuchin, disse que os fornecedores da gigante chinesa de tecnologia Huawei devem buscar isenção na lista de proibição para comercializar. Essa é uma distensão importante nas relações comerciais entre os dois países.

O BOE (BC inglês) declarou que a percepção de Brexit sem acordo cresceu, mas o sistema financeiro se mostra resiliente ao problema. No mercado, o petróleo WTI negociado em Nova Iorque mostrava alta de 0,50%, com o barril cotado a US$ 60,73. O euro era transacionado em alta para US$ 1,127 e notes americanos com juros estáveis para os títulos de 10 anos em 2,06%. O ouro e a prata tinham altas na Comex e commodities agrícolas com viés de queda na Bolsa de Chicago.

Voltando ao Brasil, há condições de votar o segundo turno na Câmara até sábado, dia 13 de julho. Hoje vão retomar a votação de destaques que seguem sendo de importância. Na economia, tivemos o IPC da Fipe da primeira quadrissemana de julho em alta para 0,17%, vindo de anterior em 0,15%. Mas o dia ainda pode ter mudanças pelo noticiário proveniente da Câmara e dados da agenda como vendas no varejo de maio e resultado fiscal americano. A expectativa é de Bovespa podendo seguir em alta (com algumas realizações depois de cinco pregões de alta), juros e dólar fracos.

Bom dia e bons negócios.

.

Alvaro Bandeira

Economista-chefe do Banco Digital Modalmais

Fonte: www.modalmais.com.br/blog/falando-de-mercado

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor