Modalmais - Abertura 10.06: bom humor internacional

Mercados fecharam em altas na Ásia e Europa com boa valorização nesse início de manhã.

Opinião do Analista / 11:45 - 10 de jun de 2019

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

Na semana passada (de 3 a 7 de junho), a Bovespa registrou leve alta de 0,82%, com índice em 97.821 pontos. Com isso, acumula valorização em 2019 de 11,30%. As Bolsas americanas tiveram semana bem mais positiva, mas já tínhamos antecipado o fato no período anterior. Hoje, mercados fecharam em altas na Ásia, Europa com boa valorização nesse início de manhã e futuros do mercado americano na mesma direção. A Bovespa precisa passar com consistência o patamar de 98 mil pontos do índice para buscar novamente o recorde já atingido de pouco mais de 100 mil pontos.

O motivo da melhora dos mercados está na decisão americana de postergar a aplicação de tarifas adicionais sobre US$ 200 bilhões contra a China para 15 de junho. Originalmente a data seria 1 de junho e a suspensão de tarifa de 5% contra o México. O acordo fechado com o México pressupõe controle da fronteira por forças militares e a compra de produtos agrícolas de produtores americanos.

Na reunião do G-20 financeiro, o FMI disse que a guerra comercial afeta a economia global. Kuroda do BoJ (o Banco Central japonês) disse que a liberação do México melhora a perspectiva global. Os EUA aceitaram que seja incluído no texto do G-20 a intensificação da tensão comercial e Mnuchin, secretário do Tesouro dos EUA, declarou que não é por acaso a desvalorização do yuan em relação ao dólar, colocando mais lenha nas negociações.

Na China, as reservas internacionais atingiram US$ 3,1 trilhões e o saldo da balança comercial de abril mostrou superávit de US$ 41,6 bilhões, com exportações crescendo 1,1% e importações encolhendo 8,5%. No Japão, o PIB do primeiro trimestre cresceu anualizado 2,25%, de previsão de +2,1%. No Reino Unido, a produção industrial de abril encolheu 2,7% (previsão -1,0%) e o déficit da balança comercial ficou em 12,1 bilhões de libras.

Hoje termina o prazo para inscrição de candidatos para o cargo de primeiro-ministro do Reino Unido, em substituição a Theresa May. Na sequência dos mercados no exterior, o petróleo WTI negociado em Nova Iorque mostrava alta de 0,20%, com o barril cotado a US$ 54,10. O euro era transacionado em queda para US$ 1,131 e notes americanos de dez anos com taxa de juros em forte alta para 2,14%. O ouro e a prata com quedas na Comex e commodities agrícolas em queda na Bolsa de Chicago.

No cenário local, os ruídos políticos podem frustrar a recuperação dos mercados de risco. No domingo, dia 9 de junho, foi anunciado que hackers conseguiram invadir conversas do ministro Sergio Moro e membros do Ministério Público. O conteúdo foi postado em três reportagens no site The Intercept. Rodrigo Maia disse que os líderes querem a inclusão de estados e municípios na reforma da Previdência e que governadores tem que se esforçar com suas bancadas para que a A pesquisa semanal Focus mostrou IPCA em queda de para 3,89% PIB em queda para 1,00% (anterior em 1,13%) e dólar estabilizado em 3,80%. A produção industrial de 2019 está prevista agora em 0,47 de expansão caindo forte da previsão anterior de +1,49%. O saldo da balança comercial também encolheu na previsão de 2019 para US$ 50,14 bilhões.

O governo diz que se a verba suplementar não for votada e aprovada amanhã pode ficar sem recursos para pagar idosos e deficientes. No mercado, os juros dos DIs começando o dia com altas para os principais vencimentos e o dólar sobe para 3,891, com +0,73%. O Ibovespa futuro mostra queda na abertura de 0,80%.

Bom dia e bons negócios.

.

Alvaro Bandeira

Economista-chefe do Banco Digital Modalmais

Fonte: www.modalmais.com.br/blog/falando-de-mercado

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor