Advertisement

Ministros europeus querem a permanência do Reino Unido

Acredite se puder / 20 Setembro 2018

Joseph Muscat. primeiro-ministro de Malta, revelou na última quarta-feira que há uma opinião “quase unânime” entre os líderes da União Europeia de que gostariam que o Reino Unido realizasse um segundo referendo sobre o Brexit. Essas declarações foram feitas no programa Today da BBC Radio 4, onde o político ressaltou que qualquer acordo de saída que seja alcançado entre Londres e Bruxelas não será melhor do que a permanência do Reino Unido na UE. Apesar de não ver a aprovação dos representantes dos 27 países do bloco europeu ao seu plano para o Brexit, a primeira-ministra inglesa, Theresa May, descartou a convocação de outra consulta, por considerar que seria trair o eleitorado e destruir a confiança nos políticos.

Muscat admitiu que desconhece qual seria o resultado desta consulta hipotética, mas ressaltou que os líderes europeus gostariam de ver se “há a possibilidade de o povo britânico colocar as coisas em perspectiva, ver o que foi negociado, ver as opções e, em seguida, decidir de uma vez por todas”. Sua opinião, no mesmo programa de rádio, foi acompanhada pela do primeiro-ministro checo, Andrej Babis, concordou que gostaria de ver outro referendo sobre o Brexit. No Reino Unido, a campanha “Voto do povo”, apoiada por políticos influentes e financiada pelo bilionário George Soros, entre outros, pede a realização de uma “consulta popular” – evitando a palavra referendo – sobre o acordo que o governo conservador britânico assinar com a UE (ou falta dele) e a opção de permanecer no bloco.

 

Subsidiária da EDP vende energia solar

A portuguesa EDP comunicou à Comissão de Mercados de Valores Mobiliários que a unidade brasileira EDP Renováveis assinou um CAE (Contrato de Aquisição de Energia) de 15 anos para a fornecer a eletricidade gerada pelo parque solar fotovoltaico Pereira Barreto. O contrato entrará em vigor no início do ano de 2022. Para Antônio Mexia, CEO do grupo EDP, “o Brasil é prioritário e dá boas oportunidades para a estratégia portuguesa, pois a entrada no mercado de energia solar é também uma aposta na diversificação de tecnologias, tendo sempre em conta o papel cada vez mais importante das energias limpas”. O projeto, localizado no estado brasileiro de São Paulo, tem uma capacidade total de 199 MW (megawatts). No Brasil, a EDPR tem atualmente c.1 GW (gigawatts) de projetos de energia renovável em construção e desenvolvimento, com início das operações esperadas até 2024 e com tarifas de longo prazo asseguradas.

 

MP de Angola quer condenar o Zenú

Associação criminosa, falsificação, tráfico de influências, burla e branqueamento de capitais. Essas são as acusações do Ministério Público de Angola a José Filomeno dos Santos. O processo é conhecido como “caso dos US$ 500 milhões” e filho do ex-presidente José Eduardo dos Santos pode ser condenado a 20 anos de cadeia.

 

Caramba, como dói fazer ‘churning’

Internacionalmente, o churning significa movimentar os ativos de uma carteira com a finalidade de gerar receitas para si ou para terceiros. Cláudio Roberto Lozer e Thiago Mauzi Coutinho foram fazer isso na UM Investimentos CTVM Corretora e foram denunciados à Comissão de Valores Mobiliários. E o regulador lhes aplicou uma multa de R$ 250 mil para cada um e os proibiu de participar do mercado por um prazo de cinco anos.

Mas o caso também envolveu a corretora e Fernando Opitz, diretor da instituição. O executivo foi condenado a pagar duas multas, de R$ 250 mil e de R$ 275 mil. Parece ter havido excesso de zelo por parte dos julgadores, pois a primeira punição foi por concorrer para a administração irregular das carteiras e a outra por concorrer para promover as negociações. Não é a mesma coisa? E a UM Investimentos foi condenada ao pagamento de duas multas no valor de R$ 500 mil também com o mesmo pretexto utilizado para punir seu diretor.

Uma pergunta: haveria tanto rigor se a corretora fosse paulista?