Minerva mantém crescimento no trimestre

Mercado Financeiro / 06:17 - 9 de nov de 2016

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

A Minerva Foods anunciou os resultados referentes ao terceiro trimestre de 2016 (3T16). Entre os destaques, a companhia registrou lucro líquido de R$ 47,4 milhões; o Retorno sobre Capital Investido (ROIC) atingiu 24,8%, mantendo-a como referência no setor; a receita bruta do 3T16 totalizou R$ 2,7 bilhões e a do acumulado dos últimos 12 meses atingiu o recorde de R$ 10,4 bilhões, 10% superior ao do 3T15; a receita líquida atingiu R$ 2,5 bilhões no período; a margem bruta ficou em 19,4%; o Ebitda totalizou R$ 249,3 milhões, 4,5% superior ao do 2T16, sendo que a margem Ebitda atingiu 9,8%; o Ebitda dos últimos 12 meses totalizou aproximadamente R$ 1 bilhão, um crescimento de 22,4% sobre o acumulado do mesmo período do ano passado, com margem de 10,9%; a alavancagem financeira ao final do 3T16, medida pelo índice dívida líquida/Ebitda dos últimos 12 meses, ficou em 3,2 vezes. As exportações no terceiro trimestre do ano responderam por 60% da receita consolidada da companhia, uma queda explicada pelo maior foco no mercado interno da Divisão Outros (que inclui couros, revenda de produtos de terceiros e a unidade de processados. Na Divisão Carnes, as vendas para o mercado externo ficaram estáveis em comparação com o 3T15 e representaram 65% do total; as vendas para o mercado doméstico, que representaram 35% do total, tiveram crescimento de 43%, mesmo diante do atual cenário adverso da economia brasileira. Para a companhia, este desempenho é resultado do foco comercial em elevar a capilaridade no mercado local, além da estratégia de também atuar em mercados de nicho e étnicos nas exportações, que trazem maior retorno, ainda que com maior necessidade de capital de giro. Outro destaque do 3T16 foi a conclusão, em setembro, da emissão no mercado internacional de US$ 1 bilhão em notas com vencimento em 2026 e juros anuais de 6,5%, com objetivo de alongamento do perfil e redução do custo da dívida consolidada por meio da troca das notas com vencimento em 2023 e pagamentos de outras dívidas que vencem no curto prazo. Esta transação trará para a companhia uma economia anual de, no mínimo, US$ 4,3 milhões em despesas financeiras. A gestão pautada por uma estratégia de crescimento consistente, com atenção para a disciplina operacional e financeira e na execução eficiente do plano de negócios, é um dos pontos altos da Minerva. A companhia, que mantém o foco na produção de carne bovina na América do Sul e exportação para diversos mercados no mundo, destaca que todos os investimentos realizados desde a sua fundação criaram alicerces para o desenvolvimento de uma plataforma cada vez mais global de distribuição de proteína bovina. Em sintonia com o desenvolvimento do parque operacional, a Minerva ampliou e adequou os seus canais de distribuição nacionais e internacionais, crescendo de maneira organizada e consistente, preservando a agilidade, eficiência e flexibilidade da sua operação. Desta forma, a companhia aproveita as oportunidades do mercado de commodities e gera resultados mais previsíveis e menos voláteis ao longo dos últimos anos por meio de uma estratégia de gestão de riscos aliada à disciplina operacional. Além de divulgar os resultados do 3T16, a Minerva comunicou em 7 de novembro a aquisição da Frisa Frigorífico Rio Doce S.A., um dos principais produtores de carne bovina do Brasil (sexto maior exportador do país), com capacidade de abate de 1,7 mil cabeças ao dia, com plantas nos Estados do Espírito Santo, Minas Gerais e Bahia. Pela aquisição, que está sujeita a condições precedentes, como autorização do Conselho de Administrativo de Defesa Econômica (Cade), a Minerva investirá R$ 205 milhões, sendo a primeira parcela, correspondente a 50% do valor, paga na data de fechamento da operação, e o restante em três parcelas anuais consecutivas de 10%, 20% e 20%, respectivamente, acrescido do capital de giro ajustado, que em 31 de dezembro de 2015 totalizava aproximadamente R$ 45 milhões. Para a Minerva, esta aquisição é uma excelente oportunidade estratégica de expansão no Brasil e representa mais um importante passo para a sua consolidação na América do Sul.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor