Advertisement

Mdic vai incentivar competitividade do setor de franquias

O Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (Mdic), por meio da Secretaria de Comércio e...

Negócios Internacionais / 29 Outubro 2018

O Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (Mdic), por meio da Secretaria de Comércio e Serviços (SCS), firmou acordo de cooperação técnica (ACT) com a Associação Brasileira de Franchising (ABF), entidade sem fins lucrativos que representa o sistema de franquias brasileiro. A colaboração entre as entidades tem o objetivo de fomentar a competitividade do setor, promovendo a internacionalização das franquias brasileiras e o fortalecimento do sistema no país. A assinatura aconteceu na última semana, durante a abertura da 18ª Convenção ABF do Franchising, evento que reuniu mais de 500 lideranças do setor, na Bahia. Na ocasião o secretário da SCS, Douglas Finardi e o presidente da ABF, Altino Cristofoletti, assinaram o termo que busca dar continuidade e intensificar as ações realizadas em parceria com o setor nos últimos anos.

Um dos exemplos dessa cooperação foi a realização de missão com CEOs do franchising brasileiro à China no último mês de setembro. Naquela oportunidade, foram identificadas diversas oportunidades de negócios no mercado chinês para franquias brasileiras, bem como foram avaliadas tecnologias e inovações relacionadas ao e-commerce, que poderão apoiar o desenvolvimento do setor no país. O secretário Douglas Finardi ressaltou que um dos objetivos da parceria com a ABF é trabalhar nos desdobramentos dessa missão e identificar outras oportunidades para internacionalização das marcas brasileiras. “Além do potencial no mercado externo o modelo de franquias é de grande relevância para disseminação da inovação no varejo nacional, considerando sua estrutura e capacidades de resiliência em momentos de maior dificuldade”, concluiu.

O ACT também prevê o desenvolvimento de políticas públicas voltadas ao setor varejista, seja pela interlocução com outras áreas do Governo, responsáveis pela regulamentação do setor, seja no âmbito das discussões no próprio Mdic por meio da identificação de potenciais mercados para internacionalização, como parte da estratégia para expansão da exportação de bens e serviços brasileiros, além da fixação das marcas brasileiras no exterior e no apoio ao desenvolvimento de ações que fomentem boas práticas e propiciem maior competitividade no Brasil e no exterior.

De acordo com o instrumento, entre as ações previstas estão a promoção conjunta de tecnologias e inovação para o varejo com foco no setor de franquias, com enfoque nas atividades desenvolvidas no âmbito do Laboratório de Varejo (Prova), inaugurado recentemente em São Paulo em parceria com a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI). Outra ação é a elaboração de propostas de ajustes dos mecanismos de apoio ao comércio exterior de forma que estes contemplem as especificidades do modelo de negócios das franquias, com o intuito de ampliar a sua participação e competitividade no mercado externo.

 

José Augusto de Castro é reeleito para AEB

José Augusto de Castro foi reeleito para o triênio 2018-2021 como presidente da Associação de Comércio Exterior do Brasil (AEB), entidade que dirige desde 2010. “Pretendo manter o trabalho que venho desempenhando desde que assumi a primeira gestão, que é o de manter um trabalho permanente para uma AEB cada vez mais atuante na sua missão para um comércio exterior brasileiro ainda mais competitivo, assim como a entidade se mantenha como a mais importante porta-voz do setor na intransigente defesa do aumento das exportações e das importações, de bens e serviços”, afirma.

Castro, que é diretor da Procex Técnica Internacional S/C Ltda, é graduado em Administração de Empresas pela Fundação Getulio Vargas-SP. Atuou na Carteira de Comércio Exterior (Cacex) do Banco do Brasil e foi coordenador da Funcex – Fundação Centro de Estudos do Comércio Exterior. É autor de 12 livros sobre comércio exterior e integra o Conselho Consultivo Privado da Câmara de Comércio Exterior (Camex) e o Conselho Superior da Funcex.

 

Agricultura facilita o comércio internacional

O ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Blairo Maggi, assinou na quarta-feira (17) normas que visam facilitar o comércio agropecuário, como a que dispensa a exigência de Certificado Fitossanitário para importações em Áreas de Controle Integrado (ACI) no âmbito do Mercosul. A medida vai desburocratizar a fiscalização e promover celeridade dos fluxos de cargas em fronteiras importantes como Foz do Iguaçu e Santa Helena (PR), Uruguaiana e São Borja (RS) e Dionísio Cerqueira (SC), entre outras.

O ministro também assinou proposta de Instrução Normativa Conjunta entre o Mapa, Receita Federal e Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) que institui as Comissões Locais de Facilitação de Comércio (COLFACS) vinculados ao Comitê Nacional de Facilitação do Comércio (Confac). O Comitê é integrante da Câmara de Comércio Exterior (Camex) e foi criado em 2016.

 

Irã e Brasil querem ampliar trocas comerciais

O ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (Mdic), Marcos Jorge, e o embaixador iraniano, Seyed Ali Saghaeyan, reuniram-se no ministério, em Brasília para discutir a ampliação das relações comerciais bilaterais. Na audiência, o embaixador iraniano transmitiu ao ministro a intenção do governo iraniano de aumentar as compras de alimentos e medicamentos brasileiros. O embaixador convidou o ministro a visitar Teerã até o fim do ano para realizar uma reunião da Comissão Mista de Assuntos Econômicos ainda em dezembro. O ministro lembrou que se trata de um encontro muito complexo e há pouco tempo para que seja estruturada. “Mas se houver alguma possibilidade nesse sentido, faremos”, afirmou Marcos Jorge. “Tenho todo interesse em ir a Teerã”.

Neste ano, até setembro, o intercâmbio bilateral com o Irã registrou novo recorde histórico, atingindo o montante de US$ 4,6 bilhões, valor 77% maior do que o total de 2017 (US$ 2,6 bilhões). As exportações brasileiras para o Irã são muito concentradas em produtos básicos, sendo compostas 78% por milho em grãos; 11% de soja mesmo triturada; e 5,7% de carne bovina. O Irã hoje é o sexto principal destino das exportações brasileiras, respondendo por 2,55% do total exportado pelo Brasil, neste ano.

 

Inscrições para Mulheres na Exportação

Ampliar a participação de empreendedoras no mercado internacional é o objetivo da Rodada de Negócios Mulheres na Exportação na Semana Internacional do Café (SIC) 2018, de 6 a 8 de novembro, em Belo Horizonte (MG). O evento é voltado a empresas ou produtoras rurais, comerciais exportadoras e compradores internacionais. As inscrições estão abertas até 30 de outubro. A rodada está sendo organizada pela Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), em parceria com a Entidade das Naçõs Unidas para a Igualdade de Gênero e o Empoderamento das Mulheres (ONU Mulheres), a Aliança Internacional das Mulheres no Café (IWCA Brasil) e a Associação das Organizações de Produtores Fairtrade do Brasil (BRFair).

O evento consiste em encontro de negócios para a promoção comercial internacional, com foco em gerar oportunidades e reforçar o posicionamento dos produtos brasileiros no mercado internacional nos segmentos de cafeicultura e derivados. Na ocasião, estarão presentes convidados internacionais representantes de varejo ou distribuidores com demandas pré-definidas.

Informações e inscrições: www.apexbrasil.com.br/

Contato com o colunista: pietrobelliantonio0@gmail.com