Advertisement

Manifestantes protestam contra aumento na tarifa de transportes

MPL critica a elevação de R$ 0,30 da tarifa em apenas um ano.

São Paulo / 10 Janeiro 2019 - 23:01

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

O Movimento Passe Livre (MPL) voltou a fazer nesta quinta-feira uma manifestação contra o aumento das tarifas do transporte coletivo público na cidade de São Paulo. O protesto ocorre após a Prefeitura e o Governo do Estado aumentarem a tarifa básica do transporte de R$ 4 para R$ 4,30, uma elevação de 7,5%. O novo valor começou a ser cobrado na última segunda-feira no metrô, ônibus e trens.
Os manifestantes se concentraram, inicialmente, em frente ao Theatro Municipal, na região da Sé, e partiram em passeata pelas ruas do centro da cidade. O MPL critica a elevação de R$ 0,30 da tarifa em apenas um ano.
“Já não bastasse a tarifa ser injusta, como esse aumento é o dobro da inflação. Quem paga a conta da crise somos nós que, além de arcar com o desemprego e o aumento do custo de vida, somos impedidos de circular pela cidade”, destacou o movimento nas redes sociais.
Segundo a administração municipal, o aumento é necessário para a “adequação da receita para reduzir o desequilíbrio do sistema”. 
“O percentual de aumento é baseado na inflação acumulada dos últimos três anos, de acordo com o IPC-Fipe, de 13,06%. Por dois anos, em 2016 e em 2017, a tarifa não sofreu qualquer reajuste, mantendo-se no valor de R$ 3,80, impactando significativamente o orçamento da Prefeitura. Em 2018, houve um aumento abaixo da inflação, elevando o valor para R$ 4,00”, disse a Prefeitura em nota.
O Governo do Estado informou que o aumento é baseado na inflação acumulada em 2018, de acordo com o IGP-M, e que reflete também o incremento dos custos operacionais e de recursos huma-nos das empresas que operam na área.
 

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor