Advertisement

Maioria dos casais pretende celebrar Namorados em restaurante

Estudo apontou também que roupa é o presente mais solicitado; ficar em casa foi a ideia menos citada, com só 1,3%.

Conjuntura / 13:11 - 12 de Jun de 2019

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

Estudo realizado pela plataforma Sprinklr encontrou mais de 600 mil menções ao Dia dos Namorados, coletados entre 15 de maio e 11 de junho. Destas mensagens, a maioria (56,1%) expressou a intenção de dar algum presente para o(a) seu(sua) amado(a).

Com relação ao tipo de presente, peças de vestuário foi o item mais citado daqueles que demonstraram interesse em dar ou receber presentes: foram 35,9% das menções, seguido de flores (16,8%), chocolate (11,8%) e cosméticos (10,7%). Outros itens mencionados foram joias (6,4%), carta (5,4%), bijuteria (5%), acessórios (4,8%) e perfume (3,2%).

O estudo também coletou os insights sobre o que os casais pretendem fazer para celebrar o dia. A maioria pretende fazer algum programa juntos, pois ficar em casa foi a ideia menos citada, com apenas 1,3% dos tweets. A maioria dos casais, 44,6%, indicou querer ir a um restaurante, seguido de sair no fim de semana (16,8%), sair para beber (16,8%), ir ao cinema (10,4%) e viajar (8,4%).

O estudo foi feito para entender o que as pessoas estavam falando sobre o dia dos namorados e suas intenções de compra. Ao todo foram 681.269 posts em várias plataformas diferentes.

Já de acordo com a associação brasileira dos lojistas de shoppings (alshop), em parceria com a empresa Real Time Big Data, constatou que metade dos brasileiros (50%) que presentearão o(a) parceiro(a) neste dia dos namorados têm a intenção de realizar as compras no cartão de crédito.

Em seguida, cerca de 42% pretende fazer o pagamento dos presentes à vista. A pesquisa foi feita por telefone com mais de 1.500 pessoas residentes nas principais capitais do País tais como São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Salvador, Recife, Fortaleza, Manaus, Brasília, Porto Alegre, Curitiba e Goiânia.

Ainda na mesma amostragem, o levantamento indica que 51% dos entrevistados pretendem comprar os presentes em shoppings, enquanto 14% optará por lojas de rua e, por fim, 10% realizará as compras por meio de lojas virtuais). Entre os parceiros da associação, a expectativa de circulação de pessoas nos shoppings é positiva: espera-se que, nos dias anteriores a data, haja uma alta no fluxo de até 51%.

Com isso, consequentemente os setores de restaurantes, fast-foods, cafés, sorveterias e estabelecimentos alimentícios em geral, também serão impactados positivamente em prol do dia 12 de junho. Segundo os associados, até mesmo na própria data os consumidores costumam frequentar os shoppings para comprar presentes. Diante disso, a entidade constatou que este ano, em comparação ao ano passado, o setor de Shoppings terá uma alta nas vendas de 3%.

Para o presidente da entidade, Nabil Sahyoun, apesar de o aumento ser pequeno, já é o início de uma melhora para o setor varejista. "A expectativa é que, com as medidas que o governo está tentando aplicar em relação às reformas trabalhista, tributária e da Previdência, haja uma melhora mais significativa em relação ao varejo a um médio prazo", comentou.

Ainda segundo a associação, 34% dos brasileiros entrevistados na pesquisa quantitativa pretende gastar uma média de R$ 100 a R$ 200 em presente para o parceiro(a). Destes, 23% têm a intenção de dar um presente entre R$ 30 e R$ 100, seguido de 18% que planeja desembolsar de R$ 200 a R$ 400.

Já para a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm), o setor de comércio eletrônico deve faturar R$ 2,92 bilhões durante a data. Os números, que abrangem as vendas realizadas entre 20 de maio e 12 de junho, representam um aumento de 12% em relação a 2018.

Nesse período, a expectativa é que o e-commerce processe 8,87 milhões de pedidos, a um tíquete médio de R$ 330. As categorias de moda, perfumes, cosméticos e informática prometem liderar as vendas, seguidas por eletrônicos, cestas e flores.

"O Dia dos Namorados é uma das datas mais importantes para o e-commerce, e contribui muito com o volume de vendas apurado durante o ano. Os varejistas devem se preparar bem para aproveitar todo o potencial da data", finaliza Mauricio Salvador, presidente da ABComm.

 

Fotos íntimas - De acordo com uma pesquisa realizada pela Kaspersky, em parceria com a Empresa chilena de pesquisa Corpa, 34% dos brasileiros já enviaram fotos íntimas a parceiros ou amigos e 28% já tiraram fotos ou se gravaram em uma situação íntima utilizando seu dispositivo móvel, seja celular ou tablet.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor