Advertisement

Maior atuação em projetos pilotos com o Comitê de Tecnologia com corretores

A primeira reunião do Comitê de Tecnologia, formado pelo diretor de Ensino do Sincor-RJ, Arley Boullosa, aconteceu nesta...

Seguros / 24 Maio 2018

A primeira reunião do Comitê de Tecnologia, formado pelo diretor de Ensino do Sincor-RJ, Arley Boullosa, aconteceu nesta terça-feira (22), e contou com a presença do Julio Fazenda, da IBROWSE, do Mauricio Mello, da Proevo Soluções Tecnológicas e do Israel Martins, da Dino Marketing Digital. O evento contou com a participação de 16 corretores de seguros inscritos.

Julio Fazenda, da IBROWSE iniciou uma apresentação sobre as mudanças que já estão ocorrendo e impactando o setor de seguros desde 2012, e falou sobre o Solo, um robô virtual que utiliza inteligência artificial e funciona em operações de cobranças para instituições financeiras, entrando em operação um piloto inédito que utilizará o conhecimento dos participantes do comitê para alimentar o banco de dados e responder perguntas sobre seguros. Essa tendência será utilizada para democratizar e acelerar o suporte para os corretores e os funcionários das corretoras.

O sócio diretor da Proevo Soluções Tecnológicas, Maurício Mello, que já fornece tecnologia para o segmento há 10 anos, apresentou um software de gestão para corretoras na versão beta e que vai entrar em teste para os corretores que participaram da reunião. O objetivo é que o sistema seja finalizado com a participação dos que participaram do comitê e em seguida, será lançado para todo o mercado segurador.

Israel Martins, da Dino Marketing Digital, finalizou a apresentação do Comitê de Tecnologia apresentando soluções para os corretores iniciarem a sua jornada no mundo digital. Foram apresentadas soluções que podem ser executadas com a criação de “personas”, para que seja identificado o cliente foco e as formatadas campanhas caseiras no Facebook Adowords.

De acordo com Arley Boullosa, diretor de ensino do sindicato, o Comitê de Tecnologia possui a finalidade de gerar soluções que atendam a categoria.

“A ideia é que o comitê discuta não apenas o impacto da tecnologia no nosso negócio e as tendências para que possamos nos antecipar, mas também possamos gerar soluções adequadas às necessidades dos corretores. Com esse objetivo, convidei o Julio Fazenda, Maurício Mello e Israel Martins para ouvirem os que participaram da reunião. Sempre recebemos de empresas de tecnologia “fórmulas prontas” e nunca nos perguntaram o que precisamos. Quis com o Comitê de Tecnologia inverter isso e fazer com que os fornecedores desenvolvam soluções realmente úteis. Agora iremos iniciar os pilotos com as três empresas e criarmos juntos as ferramentas. Outra preocupação minha foi o preço. Temos que participar do desenvolvimento, mas, uma preocupação é que também sejam acessíveis aos corretores pequenos e médios. Os grandes tem dinheiro para investir em sistemas sofisticados e caros e que, por terem tantas funcionalidades, as vezes até mais que precisamos, são caros demais. Apenas como exemplo, fechei com o Maurício que o sistema de gestão deve custar no máximo R$ 39,90 o primeiro acesso e 19,90 por acesso adicional”, explicou.

 

O Sincor-RJ através da Diretoria de Ensino e Tecnologia está chamando os corretores para participarem da criação e também para definirem juntos o quanto podemos pagar. Isso é inédito e só está sendo possível porque as empresas entenderam que não adianta caminhar sem ouvir o corretor e chegar com o produto pronto e precificado. “Estou muito feliz com o resultado da reunião e com os encaminhamentos e resultados que conseguimos até aqui. Estamos dando realmente um passo à frente com um novo modelo de negócio de parcerias que estabelecemos hoje”, concluiu Boullosa.