Lucro gerencial do Itaú surpreendeu e foi muito sólido

Analistas acreditam que as ações do banco reagirão positivamente aos resultados.

Acredite se Puder / 18:07 - 5 de nov de 2019

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

Para os analistas do Morgan Stanley, o lucro gerencial do Itaú Unibanco veio acima das suas expectativas, com trimestre “muito sólido”, impulsionado por uma rápida aceleração de empréstimos e controle de custos. Segundo eles, o banco continua mostrando capacidades de execução de alto nível na frente de custos, atingindo um baixo índice de eficiência plurianual neste trimestre. “No total, achamos que as ações reagirão positivamente aos resultados”, escreveram. Além disso, mantiveram a recomendação de overweight classificando a instituição como Top Pick entre os bancos brasileiros. “Esperamos um período de vários anos de forte crescimento de lucro por ação e expansão de ROE, impulsionado pelo crescimento de empréstimos, melhoria do balanço patrimonial e ganhos de eficiência.”

Os do Credit Susse consideraram que o resultado está praticamente em linha com consenso e as suas estimativas de lucro, ressaltando, no entanto, a maior provisão do que previsto, o que deve ser consequência da mudança de mix para crédito high-yield.

 

CNIC continua vendendo ações da EDP

Detida pelos chineses da CNIC, a Orise comunicou à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários que vai vender mais de 48,7 milhões de ações, cerca de 1,33% do capital da EDP, através de um processo de accelerated bookbuild, dirigido apenas a investidores institucionais, no qual pretende obter € 180,9 milhões. A vendedora informa também que continuará com participação de 3 milhões de títulos da companhia elétrica portuguesa. Na semana passada, a CNIC também reduziu sua participação na empresa, reduzindo sua posição acionária de 4,98% para 1,889%.

A Orise é controlada pela Kindbright Holding, que tem por acionista majoritário a CNIC. Segundo o Financial Time, todas as ações da CNIC pertencem à Safe, empresa responsável pela gestão das reservas estrangeiras administradas pelo governo chinês. Depois que fracassou a tentativa da China Three Gorges de assumir o controle da EDP, sua parceira CNIC desistiu de continuar acionista e começou a se desfazer da posição.

 

Analistas esperam que Marcopolo melhore

Os analistas do Itaú BBA taxaram de fracos o lucro de R$ 22,8 milhões e Ebtida de R$ 560,2 milhões da Marcopolo e alegam que foram afetados por uma difícil base de comparação anual, com volumes mais baixos e margens mais estreitas, mas esperam melhoras no quarto trimestre, com maores volumes no Brasil e no exterior, bem como um Ebitda e resultados mais fortes. Semelhante opinião foi a dos técnicos do Credit Suisse, que ressaltaram que a queda nas exportações afetou a receita, mas o principal ponto negativo foi a margem Ebitda de 5,6%, pois acreditam que a empresa não repassa totalmente os custos de matéria-prima e que a contribuição do mercado doméstico ainda está abaixo dos níveis normais e, com isso, o menor volume de exportação pressionou a margem consolidada.

 

Vulcabras Azaléia apresentou resultado fraco

A Vulcabras Azaleia teve lucro de R$ 41,8 milhões no terceiro trimestre, uma elevação de 5,8% em comparação ao mesmo período do ano passado. Para o Bradesco BBI, os resultados da Vulcabras foram relativamente fracos, principalmente em termos de vendas, Ebitda e margens, resultando na retração do lucro ajustado. Entre as dificuldades apontadas estão a baixa demanda para a marca core, que é a Olympikus, mercado altamente competitivo no segmento de calçados femininos e queda significativa em exportações. Segundo a empresa, alguns eventos “não recorrentes” aumentaram o resultado em R$ 4 milhões. Porém, sem esses eventos, o seria R$ 37,8 milhões, sendo 10,4% menor do mesmo período do ano anterior.

 

Credit Suisse prevê grande alta para Ômega

Em relatório, o Credit Suisse classificou os resultados da Ômega como positivos, com o top line beneficiado pela alta disponibilidade dos ativos e pela incorporação de novas usinas. A Ômega registrou um lucro de R$ 31,6 milhões no terceiro trimestre deste ano, desempenho apenas 12% superior ao reportado há um ano. O Ebitda subiu 74%, a R$ 200,5 milhões, enquanto o Ebitda ajustado, que não considera itens não recorrentes e itens não caixa, por exemplo, subiu 94%, a R$ 230,4 milhões. Os analistas do banco suíço elevaram os preços-alvo de R$ 21,13 para R$ 38,70, mantendo a recomendação de outperform.

 

Rescisão da delação derruba JBS

As ações da JBS chegaram a registrar queda de 7% e foram as maiores perdas do Ibovespa. Aí, como sempre, entraram em cena os defensores do papel, e a baixa foi reduzida para 4,79%, com a cotação ficando em R$ 27,89.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor