Líbano anuncia formação de novo governo

Premiê anunciou nomes para os 20 ministérios e monta equipe com equilíbrio entre homens e mulheres para conter manifestações no país.

Internacional / 12:06 - 22 de jan de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

O primeiro-ministro do Líbano, Hassan Diab, anunciou nesta terça-feira a formação de um novo governo, informou a agência oficial do país, a National News Agency (NNA). A lista da equipe, com vinte ministérios, já foi divulgada e tem Zeina Akar como vice-primeira-ministra, além de ministra da Defesa Nacional. Em declaração à NNA, Diab afirmou que esta é a primeira vez que uma mulher ocupará o cargo.

O presidente do Líbano, Michel Aoun, se encontrou com Diab e assinou a lista do novo Gabinete. O Líbano enfrente crise econômica, além de uma série de protestos populares pelas ruas do país desde outubro do ano passado. Desde dezembro Diab estava incumbido de nomear uma nova equipe, após seu antecessor Saad Hariri ter anunciado sua renúncia.

"Nós vamos nos esforçar para atender as demandas do povo. O novo governo consiste em profissionais qualificados e tem uma representatividade equilibrada de mulheres. É um governo de especialistas que trabalham apenas pelo país. Um governo que não se afeta pela política e suas disputas. É um governo de jovens, homens e mulheres que procuram um futuro promissor em sua terra natal", declarou Diab em texto divulgado pela NNA.

Diab procurou enfatizar o papel de especialistas que os ministros devem cumprir e afastar a ideia de envolvimento político da equipe. Questionado sobre uma nova lei eleitoral, ele enfatizou que vai estudar a possibilidade "e, após a aprovação do Gabinete, ela será encaminhada à casa do Parlamento para legislação, após a qual realizaremos eleições".

Sobre as medidas econômicas que pretende tomar para conter a crise monetária e financeira do Líbano, Diab explicou que um comitê de ministros foi encarregado de lidar com a situação.

A equipe anunciada inclui Nassif Hitti, no Ministério de Relações Exteriores; Ghazi Wazni, no Ministério das Finanças; Mohammad Fahmi, para o Ministério do Interior e Municípios; Raymond Ghajar, no Ministério da Água e Energia; Talal Hawwat, no Ministério das Telecomunicações; Raoul Nehme, no Ministério da Economia e Comércio; Marie-Claude Najm, no Ministério da Justiça; Michael Najjar, para o Ministério de Obras Públicas e Transportes; Imad Hoballah, no Ministério da Indústria; Hamad Hassan, para o Ministério da Saúde Pública; Abbas Mortada, no Ministério da Agricultura e Cultura; Lamia Yammine, para o Ministério do Trabalho; Tarek Al-Majzoub, no Ministério Nacional da Educação; Manal Abdel-Samad, no Ministério da Informação; Ramzi Mousharaffieh, para o Ministério de Turismo e Assuntos Sociais; Ghada Shreim, no Ministério dos Deslocados; Damianos Kattar, para o Ministério do Meio Ambiente e Desenvolvimento Administrativo; e Vartini Ohanian, no Ministério da Juventude e Esportes.

 

Agência de Notícias Brasil-Árabe

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor