Lamsa vai ao MP para cobrar danos causados por Crivella

Procurador-geral promete analisar os fatos pelo ponto de vista da responsabilidade criminal e de eventual ato de improbidade do prefeito.

Rio de Janeiro / 23:32 - 30 de out de 2019

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

O procurador-geral de Justiça, Eduardo Gussem, recebeu o diretor jurídico da Invepar, Eduardo Lima, para tratar dos danos provocados nas instalações da praça do pedágio da via expressa, que ocorreram na noite de domingo por equipes da Prefeitura do Rio. A Invepar é o grupo responsável pela Linha Amarela.
Lima avaliou que os atos da Prefeitura “foram desmedidos e ilegais” e colocou a concessionária Lamsa à disposição para contribuir com as investigações. Gussem respondeu que o Ministério Público do Rio vai analisar os fatos tanto pelo ponto de vista da responsabilidade criminal como de eventual ato de improbidade administrativa por parte do executivo municipal.
Na manhã da última segunda-feira, o Ministério Público solicitou à Polícia Civil, por meio da Coordenadoria de Investigação de Agentes com Foro, a realização de perícia para avaliar a destruição de cabines, cancelas e equipamentos eletrônicos usados na cobrança do pedágio. Os resultados da perícia vão instruir o procedimento investigatório instaurado para apurar eventual conduta delituosa por parte do Poder Executivo municipal.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor