Julgamento de Lula no TRF pode demorar até um ano

Política / 13 Julho 2017

'Quem acha que é o fim do Lula, quebrou a cara', ataca ex-presidente

A 8ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), responsável pelos processos da Operação Lava Jato, julgará em segunda instância o processo que levou à condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Os desembargadores, sediados em Porto Alegre, têm levado em média um ano para julgar os casos da operação.
Se for condenado em segunda instância até 15 de agosto do ano que vem, quando se encerra o prazo para registro de candidaturas no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Lula não poderá concorrer a cargo eletivo. Aliados do ex-presidente têm afirmado que a decisão tem como objetivo inviabilizar sua candidatura à presidência da República em 2018.
Poucos acreditam que a decisão irá demorar tento. Porém, à medida que juristas analisam a sentença do juiz de primeira instância Sérgio Moro, aumentam as apostas – mesmo em quem não é sim-patizante do PT – de que a decisão será reformada.
O ex-presidente se pronunciou nesta quinta-feira. Em declaração à imprensa na sede do PT na capital paulista, Lula diz que a sentença tem componente político e que provará sua inocência no pro-cesso. “Eu acho que o Moro tem que prestar contas à história, que vai dizer quem está certo e errado”. E completou. “Quem acha que é o fim do Lula, quebrou a cara.”
Ele disse que continua candidato à presidência do país nas eleições de 2018. O ex-presidente rebateu a tese de que existem provas contra ele no processo, que o levou a ser condenado. “Queria desa-fiar os meus inimigos e donos meios de comunicação que fizessem um esforço incomensurável para apresentar uma única prova. Porque a única prova que eles apresentam foi um papel rasurado”, criticou.