Advertisement

JPMorgan aumenta para 40% chances do Reino Unido ficar

Os economistas do JPMorgan distribuíram nota de análise na qual afirmam que a probabilidade de o Reino Unido se manter na União...

Acredite se puder / 06 Dezembro 2018

Os economistas do JPMorgan distribuíram nota de análise na qual afirmam que a probabilidade de o Reino Unido se manter na União Europeia aumentou de 20% para 40%, enquanto baixaram de 20% para 10% as chances de um Brexit sem acordo. Além disso, a possibilidade de uma saída “ordeira” é um cenário que perde força, caindo para 50%, enquanto anteriormente se mantinha na faixa dos 60%. Os técnicos do banco norte-americano se baseiam no prognóstico do advogado-geral do Tribunal de Justiça da União Europeia, segundo o qual, o Reino Unido poderá cancelar o Brexit sem sequer necessitar do aval dos restantes Estados. Além disso, ressaltam a possibilidade de se realizar um segundo referendo, que poderá ganhar força nas próximas semanas. O parlamento britânico ganhou a possibilidade de tomar uma decisão sobre um “plano B” no caso de rejeitar, o que é esperado, o acordo alcançado pela primeira-ministra Theresa May.

 

China exige: libertem a Meng já

Meng Wanzhou, administradora financeira da Huawei e filha do fundador da tecnológica chinesa, foi detida no Canadá no dia 1º de dezembro, mas a informação só chegou ao público nesta quinta-feira e provocou grandes perdas nas bolsas norte-americanas de ações. A acusação é baseada nas suspeitas de violação das sanções impostas pelos EUA ao Irá. As perdas foram fortes, pois na abertura o Dow Jones baixou 3,1% para os 24.603,43 pontos, enquanto o S&P 500 desvalorizou 1,66% para os 2.655,20 pontos, e o Nasdaq diminuiu 1,94% para os 7.019,16 pontos. Depois de ter sido anunciada “paz comercial” de 90 dias, a notícia da detenção desencadeou um sentimento negativo nos mercados ao intensificar as dúvidas sobre a trégua entre os EUA e a China. As bolsas dispararam então, mas as incertezas começaram a pressionar a negociação logo em seguida.