Johnson se diz 'confiante' por garantir acordo livre de tarifas com UE

Visita de premiê ocorreu depois que os principais partidos da Irlanda do Norte acordaram restaurar um governo de compartilhamento de poder.

Internacional / 12:03 - 15 de jan de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, disse na segunda-feira durante uma visita a Belfast, Irlanda do Norte, que espera e está "confiante" de garantir um acordo livre de tarifas e cota zero com a União Europeia.

Respondendo às preocupações sobre possíveis verificações de mercadorias que cruzam o mar da Irlanda após o Brexit, Johnson disse aos repórteres que "não consigo ver nenhuma circunstância em que haja necessidade de verificações de mercadorias que vão da Irlanda do Norte à Grã-Bretanha".

"As únicas circunstâncias em que você pode imaginar a necessidade de cheques vindos do Grã-Bretanha para a Irlanda do Norte, como expliquei antes, são se esses produtos estivessem indo para a Irlanda e não tivéssemos garantido, o que espero e estou confiante de que iremos, um acordo livre de tarifas e quota zero com nossos amigos e parceiros na UE", afirmou ele.

"Há muitas proteções para empresas da Irlanda do Norte, agricultores e outros", disse ele.

A visita de Johnson ocorreu três dias depois que os dois principais partidos da Irlanda do Norte, o Partido Unionista Democrático (PUD) e Sinn Fein, concordaram em um projeto de acordo para restaurar um governo de compartilhamento de poder, quebrando um impasse político de três anos na região.

A primeira-ministra do PUD da Irlanda do Norte, Arlene Foster, e a vice-primeira-ministra do Sinn Fein, Michelle O'Neill, receberam Johnson na entrada de Stormont, sede da Assembleia da Irlanda do Norte.

Elogiando os políticos por sua disposição de deixar de lado as diferenças, Johnson disse que "agora é a chance do governo e do Executivo entregarem ao povo da Irlanda do Norte e cumprirem as prioridades para o povo".

Em um comunicado antes de sua visita, Johnson saudou o acordo como "histórico".

"Este é um momento histórico para o povo da Irlanda do Norte. Após três anos, Stormont está novamente aberto a negócios com um executivo que agora pode avançar para melhorar a vida das pessoas e ser entregue para todas as comunidades da Irlanda do Norte", dizia o comunicado.

 

Agência Xinhua

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor