Investir em pesquisa dá retorno de 10 para 1

Conjuntura / 14 Setembro 2017

Brasil, porém, aplica menos da metade que Coreia do Sul

O incremento de 1% nos gastos em Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) gera um crescimento adicional no Produto Interno Bruto (PIB) de 9,92%. Educação e infraestrutura e expansão, por exem-plo, trariam um retorno de apenas 0,25% e 0,01%, respectivamente.
Os dados constam de um estudo publicado pela Levy Economics Institute, apresentado pelo presidente da Finep e vice-diretor licenciado da FGV, Marcos Cintra, durante a palestra sobre os desafios por que passa o setor de Ciência, Tecnologia e Inovação no Brasil.
Apesar desses ganhos, os dados mostram que os investimentos do setor público brasileiro em pesquisa vêm caindo desde 2014. Atualmente, o Brasil investe 1,27% do PIB em P&D, enquanto outros países, como a Coreia do Sul, investem 4%.
No Brasil, os investimentos privados ainda estão muito aquém, em comparação com o resto do mundo. De acordo com Cintra, para cada real gasto pelo governo, o setor privado responde com pouco menos da metade, o que é muito pouco.
O presidente da Finep reforçou a forte influência da inovação no desenvolvimento econômico. Segundo ele, as políticas econômicas dos principais países, incluindo os integrantes do Brics, passam pela inovação. Outro diagnóstico negativo mostrado é em relação aos pedidos de registro de patentes no Brasil. Hoje, o país é o 13º em geração de conhecimento, mas está em 69º lugar em inovação.