Indicador Antecedente subiu em agosto

Cinco das oito séries componentes contribuíram positivamente para a evolução do índice no mês.

Conjuntura / 12:00 - 16 de set de 2019

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

O Indicador Antecedente Composto da Economia Brasileira (Iace), publicado em parceria entre o Instituto Brasileiro de Economia (Ibre), da Fundação Getúlio Vargas (FGV) e The Conference Board (TCB), subiu 0,1% em agosto, para 117,3 pontos. Cinco das oito séries componentes contribuíram positivamente para a evolução do índice no mês.

O Indicador Coincidente Composto da Economia Brasileira (ICCE), que mensura as condições econômicas atuais, ficou estável em 102,6 pontos, no mesmo período. Desde agosto de 2018 – passados os efeitos da greve dos caminhoneiros - o indicador tem oscilado numa estreita faixa entre 102,6 e 102,7 pontos.

"Após o crescimento da economia brasileira registrado no segundo trimestre, os últimos resultados do Iace indicam uma probabilidade muito baixa de reversão da fase ascendente do ciclo econômico nos próximos meses", segundo Paulo Picchetti do FGV Ibre. "No entanto, o resultado do ICCE em agosto continua apontando para a baixa intensidade deste período de expansão", diz Picchetti.

O Indicador Antecedente Composto da Economia agrega oito componentes econômicos que medem a atividade econômica no Brasil. Cada um deles vem se mostrando individualmente eficiente em antecipar tendências econômicas. A agregação dos indicadores individuais em um índice composto filtra os chamados "ruídos", colaborando para que a tendência econômica efetiva seja revelada.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor