Advertisement

Inadimplência no comércio carioca cresceu 1% em outubro

A inadimplência do comércio lojista da Cidade do Rio de Janeiro cresceu 1% em outubro em relação ao mesmo mês do ano...

Rio de Janeiro / 08 Novembro 2018

A inadimplência do comércio lojista da Cidade do Rio de Janeiro cresceu 1% em outubro em relação ao mesmo mês do ano passado, de acordo com os registros do Serviço Central de Proteção ao Crédito do Clube de Diretores Lojistas do Rio de Janeiro (CDL-Rio).

As dívidas quitadas (que mostra o número de consumidores que colocaram suas contas em dia) aumentou 0,9% e as consultas (item que indica o movimento do comércio), diminuiram 5,4%, também em relação a outubro de 2017.

No acumulado dos 10 meses do ano (janeiro/outubro) em comparação com o mesmo período do ano passado, a inadimplência e as dívidas quitadas aumentaram 1% e 0,9% e as consultas diminuíram 6,1%.

Em relação ao mês anterior (setembro) as consultas, a inadimplência e as dívidas quitadas, cresceram 0,7%, 0,6% e 0,9%.

Segundo o registro de cadastro do LIG Cheque do CDL-Rio, em outubro em relação ao mesmo mês de 2017, a inadimplência1 cresceu 1,3% e as consultas e as dívidas quitadas diminuíram, respectivamente, 9,5% e 1,8%.

No acumulado dos 10 meses do ano (janeiro/outubro) em relação ao mesmo período do ano passado, a inadimplência aumentou 1,2% e as consultas e as dívidas quitadas recuaram, respectivamente, 8,4% e 2,6%.

Em relação ao mês anterior (setembro) as consultas e as dívidas quitadas, cresceram, respectivamente, 0,6% e 0,2%, e a inadimplência caiu 0,4%.

Segundo o presidente do CDL-Rio, Aldo Gonçalves, os números do SCPC mostram que o comércio continua enfrentando dificuldades, agravadas no Rio de Janeiro pela crise do Estado, que continua afastando o consumidor das compras. “Prova disso é que todas as grandes datas comemorativas do setor - Dia das Mães, Pais, Namorados e Dia das Crianças, não atingiram as expectativas do varejo e registraram resultados quase negativos. Resta agora o Natal, cujas vendas representam mais de 30% do faturamento em todo ano, dependendo do segmento. É nele que o comércio está apostando e espera o crescimento de 1,5%”, conclui Aldo Gonçalves.

 

CNC fala em recuo nacional no mês - Já segundo a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), o percentual de inadimplentes, ou seja, de pessoas com dívidas e contas em atraso, chegou a 23,5% em outubro deste ano no país, taxa inferior aos 23,8% do mês anterior e aos 26% de outubro do ano passado. De acordo com o levantamento, o percentual de endividados (ou seja, pessoas que têm dívidas não necessariamente em atraso) ficou em 60,7% em outubro, o mesmo percentual de setembro, mas abaixo dos 61,8% de outubro de 2017.

Já as famílias que não terão condições de pagar suas contas ficaram em 9,9% em outubro deste ano, o mesmo percentual de setembro, mas abaixo dos 10,1% de outubro do ano passado.

O cartão de crédito foi apontado em primeiro lugar como um dos principais tipos de dívida por 77,4% das famílias endividadas, seguido por carnês, para 14,5%, e, em terceiro, por financiamento de carro, para 10,1%.

Entre as famílias com contas ou dívidas em atraso, o tempo médio de atraso foi de 65,3 dias em outubro deste ano, acima dos 63,8 dias de outubro de 2017. O tempo médio de comprometimento com dívidas entre as famílias endividadas em outubro deste ano foi de sete meses.

 

Com informações da Agência Brasil