‘Imagem corroída’ do Brasil afugenta turista estrangeiro

Enquanto o turismo internacional cresceu 4% no primeiro semestre, no Brasil houve recuo de 5%.

Conjuntura / 23:44 - 16 de set de 2019

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

O turismo internacional cresceu 4%, de acordo com balanço divulgado pela Organização Mundial do Turismo (OMT), no primeiro semestre. Foram 671 milhões de turistas que passaram a visitar mais destinos no Oriente Médio (8%), além de Ásia e Pacífico (6%). No Brasil, no entanto, a entrada de visitantes estrangeiros caiu 5%, mesmo índice de queda registrado para toda a América do Sul. A crise argentina, de acordo com o órgão das Nações Unidas (ONU), afetou a procura da sua população por viagens pelo continente.
Segundo a pesquisadora da Universidade de São Paulo (USP) e presidente do Conselho de Turismo da Federação do Comércio de São Paulo (Fecomércio-SP), Mariana Aldrigui, uma “lista interminável” de motivos teria levado à redução da procura de destinos brasileiros por estrangeiros. Mas ela destaca que esse processo de “corrosão” da imagem internacional do Brasil está também ligado à ascensão do presidente Jair Bolsonaro (PSL). Para ela, a relação entre turismo e política é “intrínseca”.
 “A justificativa do relatório é, sim, uma imagem internacional corroída, coroada com a eleição desse novo governo. A gente não pode esquecer que tivemos, em 2018, o assassinato de Marielle Franco, que repercutiu mundialmente. Uma das consequências é a percepção generalizada de uma violência crescente no país”, disse Mariana durante participação no programa “Bom Para Todos”, da TVT.
 

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor