Advertisement

Gilmar na malha fina

Vazamento de documento da Receita com indícios de corrupção irrita ministro do STF.

Conjuntura / 08 Fevereiro 2019 - 23:04

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

Indícios de prática dos crimes de corrupção, lavagem de dinheiro e tráfico de influência estão deixando irritado o ministro Gilmar Mendes a ponto de levá-lo a pedir providências ao seu par e presi-dente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, para que a Receita Federal explique porque auditores fiscais estão investigando tais práticas juntamente com a sua mulher, a advogada Guio-mar Mendes.
A solicitação encaminhada ao STF nesta sexta-feira deve-se a divulgação pela coluna Radar da revista Veja de um documento revelando que a Receita está trabalhando para identificar os supostos indícios, que também inclui ocultação de patrimônio. Segundo a revista, o relatório – de maio de 2018 – aponta uma variação patrimonial sem explicação de R$ 693.396 do ministro em 2015 e concluiu que Guiomar “possuiria indícios de lavagem de dinheiro”.  
Agora caberá ao secretário da Receita Federal, Marcos Cintra, e a Corregedoria do órgão apurar as circunstâncias da investigação, classificada por Gilmar como um abuso de autoridade e uma es-tratégia deliberada para atacar sua reputação.
“Embora a movimentação financeira do casal seja alta (apenas em R$ 2016 foram R$ 17,3 milhões), especialistas ouvidos pela coluna acharam a conclusão do relatório açodada”, conclui a revista. O documento diz ainda que o “tráfico de influência normalmente se dá pelo julgamento de ações advocatícias de escritórios ligados ao contribuinte e seus parentes, onde o próprio magistrado ou um de seus pares facilita o julgamento”.
Ofícios com a solicitação de Toffoli foram enviados ao ministro da Economia, Paulo Guedes, ao secretário da Receita, Marcos Cintra, e à procuradora-geral da República, Raquel Dodge.
 

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor