Advertisement

Futuros ministros mostram desenho de estrutura para Bolsonaro

Eles se reúnem em Brasília nesta manhã com o presidenciável eleito

Política / 06 Dezembro 2018

O presidenciável eleito, Jair Bolsonaro, chegou ao gabinete de transição no Centro Cultural Banco do Brasil pouco antes das 9h acompanhado dos filhos Flávio, eleito senador, e Eduardo Bolsonaro, eleito para a Câmara dos Deputados. Ele se reúne nesta manhã com os ministros já confirmados para seu governo. A equipe vai apresentar a ele uma sugestão do desenho consolidado da estrutura dos ministérios, a partir do dia 1º de janeiro.

Os trabalhos do governo de transição vêm ocorrendo no primeiro andar do Conjunto Cultural do Banco do Brasil (CCBB) desde 5 de novembro. À medida que novos nomes são anunciados para o primeiro escalão, técnicos e autoridades do atual governo começam a se debruçar com os futuros ministros na estrutura esperada para o próximo mandato Executivo.

Na última segunda-feira (3), ministro extraordinário da transição, Onyx Lorenzoni, confirmado para a Casa Civil, divulgou o que pode ser a estrutura definitiva da Esplanada dos Ministérios no governo de Jair Bolsonaro. No total de 22 pastas, Onyx explicou que estão incluídos Banco Central (BC) e Advocacia-Geral da União (AGU) que deverão perder o status de ministério na próxima gestão, reduzindo posteriormente o número de Ministérios a 20.

Bolsonaro ainda precisa confirmar os nomes que comandarão o Meio Ambiente e a pasta de Direitos Humanos. Esta última pode ainda passar a ter status de secretaria, mas ainda não há decisões oficiais.

Bolsonaro deve passar todo o dia em reuniões internas no CCBB e ainda dorme na residência oficial da Granja do Torto esta noite. Na manhã de sexta-feira (7), Bolsonaro embarca as 8h para Pirassununga (SP) onde participará da cerimônia de Declaração de Guardas-Marinha, uma formatura militar-naval.

 

Futuro chanceler escolhe embaixador Brandelli para a secretaria-geral

O futuro ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, confirmou - na sua conta do Twitter - a escolha do embaixador Otávio Brandelli para ser seu segundo no Itamaraty. Brandelli será o secretário-geral do Itamaraty. Na rede social, o futuro chanceler chamou o embaixador de “meu braço direito”.

“Tenho a alegria de anunciar o embaixador Otávio Brandelli, diplomata de competência e dedicação amplamente reconhecidas, para futuro secretário-geral das Relações Exteriores. Será meu braço direito para implementar a política externa do presidente Jair Bolsonaro.”

Diplomata de carreira, Brandelli foi promovido a embaixador este ano e estava como responsável pelo Departamento de Mercosul do Itamaraty. Como secretário-geral, Brandelli deverá assessorar o chanceler nos temas relativos à política externa e também nas questões administrativas.

Araújo deverá definir ainda se manterá ou mudará os subsecretários de áreas no Itamaraty , responsáveis por distintos setores da política externa.

 

Com informações da Agência Brasil