Focus revisou para baixo projeção para inflação e para cima o câmbio

Quarta tem reunião do Copom e expectativa é de corte de 0,50 p.p.; mercado começa semana de olho na inflação por conta de alta do petróleo.

Opinião do Analista / 10:48 - 16 de set de 2019

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

Bom dia.

.

Copom é destaque na semana - Teremos a reunião do comitê, na quarta-feira, e a expectativa é de corte de 0,50 p.p., mas o mercado começa a semana de olho na inflação por conta da forte alta do petróleo. Na agenda de hoje, o Focus trouxe revisão para baixo na projeção para inflação e para cima na estimativa para o câmbio, para esse ano e para o próximo. Para 2020, as projeções para PIB e Selic também foram cortadas. O IGP-10 foi divulgado hoje pela FGV e continuou no campo negativo, caindo 0,29% em setembro. O IPC-S veio menor, desacelerando a 0,05% na segunda semana de setembro após apresentar 0,15%, com desaceleração nos preços dos alimentos. Os dois índices reforçam um viés mais benéfico para inflação.

.

Ataque à Arábia e dados fracos na China movimentam mercado lá fora - O ataque contra instalações da Saudi Aramco afeta cerca de 5% da produção global de petróleo e fez a cotação da commodity disparar no mercado internacional, elevando também a aversão ao risco lá fora. Além disso, na madrugada, saíram os dados referentes à agosto da produção industrial chinesa e das vendas no varejo por lá, bem abaixo do esperado. Expectativa era de melhora frente à leitura de julho nos dois casos, mas ambos vieram com desaceleração, reforçando os efeitos da guerra

comercial na atividade chinesa. Por tudo isso, no mercado acionário, o dia é mais negativo, com as petroleiras na contramão, obviamente. Nos EUA, o dia é de agenda morna, com o destaque sendo o índice Empire State, que mede a atividade da indústria no Estado de Nova Iorque.

.

Desinvestimento da Petrobras (PETR4) - Agora, foi anunciada a venda do total de sua participação em duas concessões terrestres, Polo Cupiúba e Carapanaúba, localizadas no estado do Amazonas, incluindo instalações de escoamento. Não há detalhes sobre a expectativa de valores e prazo de conclusão. A novidade não deve trazer influência relevante para os papéis da companhia, que vão responder majoritariamente a escalada na cotação do petróleo.

.

Estudos contestam laudo que acusa Braskem (BRKM5) pelo afundamento de bairros. - Os "estudos técnicos especializados e independentes" contratados pela companhia e conduzidos pela Universidade de Houston, pela Fundação Coppetec (UFRJ) e por um grupo de renomados professores brasileiros e estrangeiros, apontaram divergências com relação às metodologias adotadas e às conclusões do relatório n° 1 do Serviço Geológico do Brasil - CPRM. Com os dados disponíveis, não é possível determinar as causas da instabilidade do solo nos bairros afetados, segundo esses estudos. Ainda que o grau de incerteza siga elevado, e que a novidade não traga efeitos positivos de imediato, como a suspensão dos bloqueios e provisões realizados, seus papéis tendem a reagir de forma positiva à divulgação.

.

Helbor (HBOR3) sinaliza follow on - A incorporadora contratou bancos e está avaliando uma oferta de ações. A companhia não deu detalhes sobre o tamanho da oferta, mas ela seria primária.

.

Bons negócios!

.

Coinvalores

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor