FGV aponta que 57% dos brasileiros pedem ação do Estado na economia

Conjuntura / 10 Outubro 2017

Pesquisa de opinião pública realizada pela Diretoria de Análise de Políticas Públicas (Dapp) da Fundação Getulio Vargas (FGV) durante o mês de agosto deste ano aponta que 57% dos brasileiros querem atuação do Estado na economia. Indica ao mesmo tempo que 79% recusam aumento de impostos.

O levantamento mostra que o brasileiro ainda sente o impacto dessa recessão. Cerca de 64% dos entrevistados afirmaram discordar totalmente que o pior da crise econômica já passou; quando questionados, a maioria dos entrevistados diz que ainda não percebeu com clareza a queda do desemprego, da inflação e dos juros em relação há um ano. O trabalho indica que 70% defendem a diminuição das desigualdades. Em relação ao futuro, o brasileiro mostra-se majoritariamente otimista, com 54% dos consultados considerando que a qualidade de vida nos próximos cinco anos vai estar melhor do que nos dias de hoje; e além disso, 64% concordam em parte ou totalmente que, apesar dos governantes atuais, depende de cada um alcançar a vida boa.

Os pesquisadores concluíram que a insatisfação dos brasileiros no atual contexto se reflete numa falta de confiança generalizada no presidente (83%), nos políticos (78%) e nos partidos (78%), expressa em todas as regiões, faixas etárias e de renda. Por outro lado, em relação ao futuro, o brasileiro mostra-se majoritariamente otimista, com 54% dos que responderam considerando que a qualidade de vida nos próximos cinco anos vai estar melhor do que nos dias de hoje. A coleta das informações em campo, realizada pelo Ibope, contou com 1.568 entrevistados de diversos municípios, em todo o território nacional.

A partir da organização das informações encontradas, o estudo foi dividido em dois eixos centrais: o primeiro, denominado "A Confiança no Brasil", que vem a destacar a confiança dos indivíduos sobre a política, a economia e a estrutura social em geral.