Advertisement

Fecha o cerco ao bitcoin

Mercado Financeiro / 13 Janeiro 2018

CVM proíbe uso como ativos em fundos de investimento

Moedas virtuais, como o bitcoin, não podem ser usadas como ativos financeiros por fundos de investimento, deliberou a Comissão de Valores Mobiliários (CVM), após diversas consultas feitas à comissão por participantes de mercado.
É mais uma notícia negativa para quem aposta nas criptomoedas. Esta semana, a Coreia do Sul anunciou que planeja coibir o comércio desse tipo de moeda. A China segue o mesmo caminho.
A Bloomberg noticiou nesta sexta que o secretário de Tesouro dos Estados Unidos, Steven Mnuchin, quer apoio das nações do G-20 (grupo que reúne as 20 maiores economias do mundo) para evitar que bitcoin e similares se tornem o equivalente digital a uma conta anônima na Suíça.
A Microsoft anunciou recentemente que, após quase três anos, vai deixar de aceitar bitcoin. A plataforma de jogos Steam também cancelou o uso como sistema de pagamento. Mais significativo, a Conferência de Bitcoin da América do Norte, que será realizada em Miami a partir do dia 18, já não está aceitando (para transações de última hora) o bitcoin. O motivo é o congestionamento da rede e o processamento manual, informa o The Coin Telegraph.
O professor e coordenador do MBA em Marketing Digital da Fundação Getúlio Vargas (FGV), André Miceli, aconselha os novos investidores a avaliar bem os riscos antes de decidir aplicar o dinheiro em criptomoedas. De acordo com ele, há possibilidade de formação de bolhas.
“O valor do bitcoin é aquilo que as pessoas acreditam que vale, mais ou menos como eram com as tulipas, que resultaram na primeira grande bolha (em 1636). Além disso, muitas pessoas que não entendem nada do assunto estão investindo. Lembro que, para alguns ganharem, outros têm que perder. Assim é o mercado. Historicamente, moedas não são ativos com grande retorno sobre investi-mento. Não faz sentido que seja diferente dessa vez”, lembra.