Advertisement

Família aplicou R$ 30 mi em bitcoins e Coaf nem percebeu

Ataque a site levou à perda de todas as criptomoedas e deixou investidor na mão.

Acredite se puder / 12 Fevereiro 2019 - 16:47

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

O Coaf não tomou conhecimento de uma aplicação em mais de 2 mil bitcoins, o que significa o equivalentes a quase R$ 30 milhões. O dinheiro desapareceu e pode causar efeitos catastróficos para a brasileira Mercado Bitcoin, que responde a uma ação judicial desde 2015 por conta da perda de milhares de criptomoedas em 2013. A ação está sendo movida por Thiago de Camargo Martins Cordeiro e seus familiares Conceição Aparecida de Camargo Martins (avó), Dirce Gracy Martins Cordeiro (mãe) e Elisabete Martins (tia), que buscam reaver “montante aproximado de 2.246,7811916 bitcoins”, conforme o processo. A ação é contra Leandro Marciano César, o fundador da corretora, e Mercado Bitcoin, por sumiço das criptomoedas investidas no grupo Bitcoin Rain. O engraçado é que as transações nunca foram investigadas pelo Coaf.

Alega o cidadão que os bitcoins estavam custodiados no Mercado Bitcoin, mas após um ataque ao site, em março de 2013, todas as criptomoedas se perderam. A corretora, contudo, se defende, por meio de seus advogados, afirmando que o caso é entre Leandro Marciano César e os investidores, uma vez que a atual gestão nada tem a ver com o ocorrido e que a empresa como é hoje foi constituída apenas em maio de 2013.

 

Antes de morrer, transferências elevadas

Na semana que antecedeu a alegada morte do fundador e CEO da exchange de criptomoedas QuadrigaCX, pelo menos 5 mil ethereum foram transferidos para carteiras da Bitfinex, Kraken e Poloniex, sendo a maior parte enviada para a Binance (4.550.ETH). Gerald Cotten, que morreu em 9 de dezembro de 2018, era o único responsável pelas chaves privadas das carteiras da exchange. Segundo análise de dados públicos de blockchain realizada pela Coindesk e publicada na última sexta-feira, quase US$ 1 milhão (R$ 3,7 milhões) em ether (ETH) foram enviados da QuadrigaCX para outras exchanges somente em dezembro, o mesmo mês em que Cotten morreu. O total de ETH transferidos foi de 9 mil unidades.

Não está claro se foi algum cliente ou a própria QuadrigaCX que iniciou essas transações, mas a movimentação destes fundos já causou furor na comunidade de criptomoedas, principalmente nos clientes afetados. Os analistas da Coindesk usaram uma trilha que começa em junho de 2017, a última vez que a carteira da QuadrigaCX, identificada publicamente, havia sido usada. O caso QuadrigaCX está sendo investigado pela justiça canadense. A Coindesk solicitou à exchange informações sobre as transferências, mas não obteve retorno.

 

Ações do setor petrolífero voltaram a subir

O setor petrolífero negociou em alta nesta terça-feira devido aos novos boatos espalhados sobre petróleo. A Arábia Saudita pretende efetuar mais cortes na produção. Entendam, pretender não significa que vai reduzir. O ministro da Energia saudita, Khalid Al-Falih, disse nesta terça-feira ao Financial Times que o reino pretende ir além do que foi acordado na Opep e reduzir a produção para 9,8 milhões de barris no próximo mês.

No caso da petrolífera portuguesa Galp, várias notas positivas foram emitidas após a apresentação de resultados. O Goldman Sachs elevou o preço-alvo da companhia de € 17,50 para € 18 por ação. A avaliação implica um potencial de valorização de 32% e a recomendação passou de “vender” para “neutra”.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor