Faltam fraudes no mercado mais correto do mundo

Acredite se puder / 07 Dezembro 2017

A luta é antiga, mas nunca termina. Quando os clientes deixam os seus investidores para serem movimentados por intermediários financeiros, sempre correm o risco de gerar elevadas comissões, lucrando ou perdendo nas suas aplicações. Parece que somente não existe no Brasil, pois nos Estados Unidos não para a luta da Securities and Exchange Coimmission contra esse tipo de fraudadores. Lá, o regulador fica atento para as negociações excessivas contra os intermediários que fazem negócios inadequados para clientes e lucrativos, mas que geram bons lucros para eles. O exemplo mais recente é o caso de Zachary S. Berkey, da Centerreach, Nova York, e Daniel T. Fischer, de Greenwich, Connecticut, conduziram operações de negociação em and out e perderam US$ 537,89 mil de dez clientes da Four Points Capital Partners LLC, onde Berkey e Fischer trabalharam anteriormente, mas receberam aproximadamente US$ 106 mil e US$ 175 mil, respectivamente, em comissões. “Estamos intensificando nosso foco em corretores sem escrúpulos e suas práticas prejudiciais”, disse Sanjay Wadhwa, diretor associado sênior do Escritório Regional de Nova York da SEC. E concluiu: “Como alegado em nossa queixa, Berkey e Fischer prejudicaram gravemente seus clientes, fornecendo recomendações inadequadas e siphoning dinheiro sob a forma de altas comissões e custos.”

Pela denúncia da SEC, os clientes tiveram custos significativos com cada transação e o preço dos títulos aumentou significativamente para que os clientes realizem até um lucro mínimo. A denúncia também alega que Berkey e Fischer movimentaram as contas dos clientes e dissimularam informações materiais, como os custos associados dàs suas recomendações, deixando de revelar que as comissões e honorários ultrapassariam quaisquer ganhos potenciais nas negociações. A denúncia alega ainda que Fischer estava envolvido em negociações não autorizadas. Sem admitir ou negar as alegações da SEC, Fischer consentiu em um julgamento final que o proíba permanentemente de violações semelhantes no futuro e ordena-lhe que devolva seus ganhos com juros e pague uma penalidade de US $ 160 mil. O acordo está sujeito à aprovação do tribunal. A Fischer e concordou separadamente com uma ordem da SEC que o excluía da indústria de valores mobiliários e da negociação de ações de centavo. O litígio da SEC contra Berkey irá prosseguir no tribunal do distrito federal em Manhattan.

Assaltaram as fundações brasileiras e nunca houve nenhuma punição. A CVM está esperando a denúncia de dedos-duros?

 

CVM suspende oferta brasileira

A Superintendência de Registro de Valores Mobiliários (SRE) da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) determinou à CM Capital Markets Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda. (instituição financeira líder da oferta), em 6/12/2017, a suspensão, pelo prazo de até 30 dias, da oferta pública de distribuição da 2ª emissão de cotas do GGR Covepi Renda Fundo de Investimento Imobiliário. A decisão ocorreu devido à inconsistência informacional verificada na seção “Destinação dos Recursos da Oferta” do Prospecto Definitivo, na qual é divulgado que “atualmente, não existem novos ativos Imobiliários cuja aquisição esteja em andamento ou esteja sendo planejada pelo Fundo”. Entretanto, a GGR Gestão de Recursos Ltda, gestora do Fundo, em resposta a questionamento da SRE sobre a existência de assimetria informacional no curso da oferta, objeto de denúncia recebida pela CVM em 30/11/2017, declarou que alguns imóveis mencionados na denúncia e objeto de vazamento de informações estão sendo por ela avaliados.

A SRE também determinou a publicação imediata de comunicado ao mercado informando a decisão da suspensão, sem prejuízo das demais providências cabíveis em relação à Oferta, em especial as descritas no art. 20 da Instrução CVM 400. A suspensão poderá ser revogada, dentro do prazo acima indicado, se as irregularidades apontadas forem devidamente corrigidas. Caso contrário, a oferta será cancelada, nos termos do § 3º, do art. 19, da referida Instrução.

 

Bancos compensarão crédito da CEF e BNDES

Os volumes das operações de crédito na CEF e no BNDES devem permanecer estáveis, ou até recuar neste ano. Para os analistas, os outros bancos com cumprir a meta do crescimento do crédito em linha com a expansão do PIB nominal no País no próximo ano, ou seja, ao redor de 6,5%.terão que crescer 10% para que a meta de crescimento desse setor seja alcançada. No Itaú Unibanco, o crédito das pessoas físicas tem colaborado para o cumprimento dessa projeção, mas isso não é o caso para as pessoas jurídicas. O banco continua reduzindo sua exposição ao segmento corporativo e deve ser bem conservador nos próximos meses. Por outro lado, se observa uma melhora geral da qualidade dos ativos do banco, levando a uma expectativa de redução significativa nas despesas com provisões para perdas. O crescimento de lucro do Itaú em 2018, mantendo o retorno sobre o patrimônio líquido (ROE) no patamar próximo de 20% ao ano, o que pode ser visto como amplamente satisfatório em qualquer cenário econômico, sobretudo na atual fase da economia brasileira. Por causa disso, diversos técnicos classificam como positivo o investimento nas ações do Itaú Unibanco, principalmente quando é considerada a expansão do crédito em 2018.