Exportações de soja em grão batem recorde em fevereiro

Negócios Internacionais / 13 março 2017

As exportações de soja em grão tiveram aumento de 96,3% em fevereiro deste ano, atingindo US$ 1,4 bilhão, ante US$ 715,30 milhões do mesmo mês do ano passado. Isso ocorreu em razão dos acréscimos de 72,3% no volume embarcado, que saltou de 2,04 milhões de toneladas para 3,51 milhões de toneladas, e de 13,9% no preço. Os montantes de valor e volume de soja em grão representaram recordes para meses de fevereiro. O complexo soja teve aumento de 65% nas exportações em fevereiro deste ano em relação ao mesmo mês do ano passado. Com isso, a participação da cadeia produtiva no valor exportado pelo setor agrícola saltou de 15,4% para 28,8%.

As exportações de carnes, segundo maior setor da pauta, totalizaram US$ 1,13 bilhão em fevereiro deste ano, 7,8% superior à registrada em igual mês de 2016. As vendas de carne de frango lideraram o setor no mês passado, alcançando US$ 558,96 milhões, com acréscimo de 23,9%. Já a carne bovina teve queda de 16,9%, recuando para US$ 395,10 milhões. A carne suína registrou aumento de 32,1%, com faturamento de US$ 112,66 milhões, e carne de peru saltou 153,6%, com embarques de US$ 36,36 milhões. O comércio exterior brasileiro do agronegócio registrou, em fevereiro, exportações de US$ 5,93 bilhões e importações de US$ 1,10 bilhão. O superávit comercial do agronegócio recuou de US$ 5,76 bilhões em fevereiro de 2016 para US$ 4,83 bilhões no mês passado.

Rio aumenta vendas externas em janeiro

O Estado do Rio de Janeiro teve bom desempenho em exportações no mês de janeiro, enquanto as importações continuaram em queda. Esse foi o cenário apresentado no Boletim Rio Exporta do Sistema Firjan. O saldo no período foi de US$ 857 milhões, diante de US$ 1,9 bilhão em exportações e US$ 1,1 bilhão em importações. No comparativo com o mesmo mês de 2016, as vendas para o exterior registraram aumento de 63%, enquanto as importações recuaram 24%. A exportação de produtos básicos (US$ 1,5 bilhão), principalmente petróleo, impulsionou a balança comercial fluminense no período. “Esse saldo comercial é explicado pela valorização no preço do barril de petróleo, item importante para o resultado geral da balança”, explicou Claudia Teixeira, especialista em Comércio Exterior da Firjan Internacional.

Exportações de calçados crescem 5% em fevereiro

Dados elaborados pela Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados) indicam que, em fevereiro, os calçadistas exportaram 9,16 milhões de pares que geraram US$ 81,54 milhões, 6,8% menos em volume e 5% mais em receita no comparativo com igual mês de 2016. Com isso, no acumulado do bimestre, os exportadores de calçados chegaram a 20,53 milhões de pares embarcados que geraram US$ 162,9 milhões, volume 3,5% menor e receita 10,8% maior no comparativo com igual período do ano passado. O presidente-executivo da Abicalçados, Heitor Klein, ressalta que, embora o resultado ainda seja positivo na comparação com o mesmo mês do ano passado, o registro já demonstra um arrefecimento das exportações, que haviam crescido mais de 17% em janeiro.

Parceria para inserir 500 empresas no exterior

O Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (Mdic) e a Confederação Nacional da Indústria (CNI) anunciaram uma parceria para apoiar a inserção de 500 empresas brasileiras no mercado internacional. O prazo de inscrição será aberto em julho para indústrias de todos os portes, setores e unidades da federação. Elas farão parte do programa Rota Global, que oferece consultoria completa para empresas não exportadoras investirem no mercado internacional, com diagnóstico, desenho de estratégia e acompanhamento. A meta é traçar o diagnóstico de 500 empresas, desenvolver planos de negócios para 200 delas e, ao final do projeto, em 2018, ter ao menos 100 novas empresas com operações concretas de exportação. O programa é desenvolvido pela CNI, em parceria com a União Industrial Argentina e o Parque Tecnológico de Extremadura, na Espanha.

Queda na venda de carne bovina

Depois de um início promissor em janeiro, quando apresentaram um crescimento de 10% em volume e de 14% na receita em relação a 2016, as exportações totais de carne bovina in natura e processada apresentaram forte queda no mês de fevereiro devido à significativa redução nas compras por parte de alguns países europeus como Alemanha, Itália, Reino Unido e Holanda e ainda do Egito. Também contribuiu para a queda uma certa estabilização nas importações chinesas que vinham crescendo aceleradamente desde o início de 2016. Hong Kong diminuiu suas aquisições em 21%, mas em compensação a China Continental elevou suas compras em 66%, compensando uma pela outra.

Cresce 3,2% exportação de frango

As exportações brasileiras de carne de frango cresceram 3,2% em fevereiro em comparação com o mesmo mês do ano passado. Segundo dados divulgados pela Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) foram embarcadas 330,2 mil toneladas no mês passado, contra as 319,9 mil toneladas de fevereiro de 2016, considerando todos os produtos – in natura, embutidos e processados. Em receita, o resultado foi ainda mais positivo: saltou 24% na mesma base de comparação, alcançando US$ 566,2 milhões.

Contato com a coluna: editor@exportnews.com.br